Comércio do Rio acumula perdas de R$ 40 milhões com as chuvas

Ludmilla de Lima e Ludmilla de Lima
Transtornos causados pela forte chuva que caiu no Rio de Janeiro. Foto: Brenno Carvalho

RIO - As chuvas da última semana causaram transtornos para os cariocas e também afetaram o caixa do comércio da cidade. O Clube de Diretores Lojistas do Rio de Janeiro (CDLRio) estima que o setor varejista deixou de vender cerca de R$ 40 milhões na última semana - o equivalente a 10% do faturamento de um dia normal (R$ 405 milhões). Presidente do CDLRio, Aldo Gonçalves afirma que no cálculo estão incluídas lojas que não tiveram como abrir durante os temporais - seja por ruas alagadas ou pela ausência de funcionários que não conseguiram chegar ao trabalho - e estabelecimentos que registraram movimento menor.

No total, não entram prejuízos das lojas que foram invadidas pela água e perderam mercadorias.

- O comércio que mais sofreu foi o que fica em lugares que costumam alagar, como na Tijuca e Jardim Botânico. Nesses lugares, muitas pessoas ficam reféns em casa, porque temem não conseguir voltar, não conseguir um transporte. Só sai para fazer compras quem precisa de algo muito urgente, como medicamentos e alimentos - afirma Aldo, acrescentando que o setor de moda é um dos mais afetados nessas condições.

Ele diz ainda que os estragos deixados pelas chuvas e a demora numa resposta do poder público também abalam o faturamento:

- A cidade está muito maltratada. Tudo que dificulta o ir e vir, a rotina das pessoas, como os buracos que ficam após as chuvas, afeta o comércio.