Com 1.969 mortes em 24h, Brasil bate novo recorde de média móvel de óbitos por Covid-19

Evelin Azevedo
·2 minuto de leitura

RIO — O Brasil bateu um novo recorde na média móvel de mortes por Covid-19: no número chegou a 2.655, maior 34% se comparado ao cálculo de duas semanas atrás. O país registrou 1.969 óbitos nas últimas 24h e totaliza 314.268 vidas perdidas para o novo coronavírus.

Os dados são do consórcio formado por O GLOBO, Extra, G1, Folha de S.Paulo, UOL e O Estado de S. Paulo e reúne informações das secretarias estaduais de Saúde divulgadas diariamente até as 20h. A iniciativa dos veículos da mídia foi criada a partir de inconsistências nos dados apresentados pelo Ministério da Saúde.

Roraima não divulgou dados sobre os casos e mortes registrados no estado até às 20h.

Desde as 20h de domingo, 44.720 casos foram notificados, elevando para 12.577.354 o total de pessoas que se contaminaram com o coronavírus. A média móvel foi de 75.105 diagnósticos positivos, 8% maior do que o cálculo de 14 dias atrás.

A "média móvel de 7 dias" faz uma média entre o número do dia e dos seis anteriores. Ela é comparada com média de duas semanas atrás para indicar se há tendência de alta, estabilidade ou queda dos casos ou das mortes. O cálculo é um recurso estatístico para conseguir enxergar a tendência dos dados abafando o ruído" causado pelos finais de semana, quando a notificação de mortes se reduz por escassez de funcionários em plantão.

Vinte e quatro unidades da federação atualizaram seus dados sobre vacinação contra a Covid-19 neste domingo. Em todo o país, 16.258.743 pessoas receberam a primeira dose de um imunizante, o equivalente a 7,68% da população brasileira. A segunda dose da vacina, por sua vez, foi aplicada em 4.819.324 pessoas, ou 2,28% da população nacional.