Com 46%, Ibaneis venceria no 1º turno no DF; 2º lugar tem 4 empatados, mostra Ipec

BRASÍLIA, DF (UOL/FOLHAPRESS) - A pesquisa Ipec para o governo do Distrito Federal, contratada pela TV Globo e divulgada nesta terça-feira (6), aponta o governador Ibaneis Rocha (MDB), candidato à reeleição, com 46% das intenções de voto —ele subiu 5 pontos percentuais em relação ao último levantamento.

Em segundo lugar na pesquisa, aparecem Paulo Octávio (PSD) e Leila Barros (PDT), com 9% dos votos cada um, Leandro Grass (PV), com 8%, e Izalci Lucas (PSDB), com 5%; já Renan Arruda (PCO), Keka Bagno (PSOL) e Coronel Moreno (PTB) têm 1% cada um.

Ibaneis ultrapassa a soma de seus adversários, que, juntos, têm 34%. Mesmo levando em conta a margem de erro de três pontos percentuais para mais ou para menos, o atual governador venceria em primeiro turno.

Entre os entrevistados, 9% não sabem em quem vão votar ou não responderam — votos brancos/nulos chegam a 11%.

O nível de confiança do levantamento, segundo o instituto, é de 95%. O instituto ouviu, entre os dias 3 e 5 de setembro, 1.200 pessoas. A pesquisa foi registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) com o número BR-08466/2022.

Veja o resultado a seguir (resposta estimulada e única, em %):

Ibaneis Rocha (MDB): 46% (41% na pesquisa anterior, feita em 15 de agosto)

Leila do Vôlei (PDT): 9% (9% na pesquisa anterior)

Paulo Octávio (PSD): 9% (9% na pesquisa anterior)

Leandro Grass (PV): 8% (7% na pesquisa anterior)

Izalci (PSDB): 5% (5% na pesquisa anterior)

Renan Arruda (PCO): 1% (2% na pesquisa anterior)

Keka Bagno (PSOL): 1% (1% na pesquisa anterior)

Coronel Moreno (PTB): 1% (1% na pesquisa anterior)

Não sabe ou não respondeu: 9% (11% na pesquisa anterior)

Branco/nulo: 11% (13% na pesquisa anterior)

SOBRE O INSTITUTO

O Ipec foi fundado em fevereiro de 2021 por ex-executivos do Ibope, que encerrou suas atividades em janeiro por conta do fim de um acordo de licenciamento da marca após 79 anos.

O Ipec aborda entrevistados em suas casas, localizadas em áreas estabelecidas conforme distribuição do eleitorado brasileiro.