Com 75% da população vacinada, pandemia pode ser controlada, mostra estudo da CoronaVac em Serrana

·2 minuto de leitura
A health worker prepares a CoronaVac vaccine against COVID-19 during an immunization campaign for people on the streets in Sao Paulo, Brazil, on March 30, 2021. (Photo by Miguel SCHINCARIOL / AFP) (Photo by MIGUEL SCHINCARIOL/AFP via Getty Images)
Estudo feito em Serrana, interior de São Paulo, mostra que uso da CoronaVac é capaz de controlar a pandemia a partir de 75% da população vacinada com as duas doses (Foto: MIGUEL SCHINCARIOL/AFP via Getty Images)
  • Estudo feito pelo Butantan em Serrana mostra que com 75% da população vacinada é possível controlar a pandemia

  • Após vacinação em massa, número de casos caiu 95% na cidade

  • Estudo feito no Chile com a CoronaVac mostra queda relevante no número de casos, hospitalizações e mortes

Um estudo feito na cidade de Serrana, interior de São Paulo, mostra que é preciso vacinar 75% da população contra a covid-19 para controlar a pandemia no Brasil. Os resultados foram divulgados pelo programa Fantástico, da TV Globo.

A cidade foi amplamente vacinada com a CoronaVac, produzida em parceria pelo Instituto Butantan com a SinoVac. O estudo clínico foi feito pelo Butantan e pela USP de Ribeirão Preto. A cidade tem 45 mil habitantes e tinha um alto número de contágios antes da ampla vacinação.

Leia também

“O resultado mais importante é poder saber que nós conseguiremos controlar a pandemia através da vacinação”, declarou Ricardo Palacios, diretor de pesquisa clínica do Butantan ao Fantástico. “Quando a gente atingir ao redor de 70%, 75% da população vacinada, a gente vai atingir um nível suficiente para vacinar”, afirmou.

“Às vezes, as pessoas começam a ver que está aumentando a vacinação, mas não conseguimos controlar a epidemia. É justamente porque não atingimos um nível suficiente para controlar a pandemia”, explicou Palacios.

A meta do Butantan era vacinar pelo menos 80% da população alvo da cidade. O número incluía os adultos, tirando os que têm comorbidades graves e as gestantes. O número foi ultrapassado: com as duas doses, o Butantan vacinou 95,7% da população alvo.

Em março, a cidade registrou 699 casos de covid-19. Em abril, o número caiu para 251. No mesmo período, as mortes caíram de 20 para 6.

Após o fim da vacinação em Serrana, o número de mortes caiu 95%, enquanto a diminuição de casos sintomáticos foi de 80%.

Estudo feito no Chile

No Chile, a CoronaVac também é a vacina mais utilizada para imunizar a população. No último sábado (29), o governo apresentou dados sobre a vacina. Foram observadas 9,5 milhões de pessoas, sendo 5,4 milhões sem vacina e 4,1 milhões com o esquema completo de imunização (duas semanas após a segunda dose).

Houve redução expressiva no número de casos, hospitalizações, internações em UTI e mortes.

  • Casos - Não vacinados: 185,6 mil. Vacinados: 12,2 mil

  • Hospitalizações – Não vacinados: 18 mil. Vacinados: 1,4 mil

  • Internações em UTI – Não vacinados: 6,3 mil. Vacinados: 360

  • Mortes – Não vacinados: 2,7 mil. Vacinados: 409

Estudo foi feito no Chile, onde CoronaVac é a vacina mais aplicada (Foto: Ministério da Saúde do Chile)
Estudo foi feito no Chile, onde CoronaVac é a vacina mais aplicada (Foto: Ministério da Saúde do Chile)
Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos