Com 900 pacientes à espera de internação, hospitais de campanha têm 231 leitos vazios

Hospital de campanha do Parque dos Atletas, no Riocentro, foi inaugurado no dia 11 para atendimento de pacientes com Covid-19

Enquanto 900 pacientes com suspeita ou contaminados pela Covid-19 estão à espera de internação, 231 leitos dos três hospitais de campanha do governo do Estado permaneceram vazios na manhã desta quinta-feira, segundo reportagem do G1. E apesar de dois dos três hospitais do estado serem administrados pela iniciativa privada — o da Lagoa-Barra, no Leblon e do Parque dos Atletas, no Riocentro — a fila é única e monitorada pela Central Estadual de Regulação. Ou seja, a distribuição dos pacientes para os leitos disponíveis em todo o estado é gerida pela administração pública.

Na última atualização feita pela Secretaria estadual de Saúde, as três unidades tinham 450 leitos disponíveis e 219 pacientes internados. A secretaria informou ao G1 que "os leitos dos hospitais de campanha serão ocupados de forma gradativa seguindo protocolo e preservando profissionais de saúde e pacientes" e que a "entrada dos pacientes é feita por intermédio da Central Estadual de Regulação". A pasta ainda não respondeu a esse questionamento sobre os novos números.

O Hospital de Campanha do Maracanã, por exemplo, tinha 142 leitos ociosos até a quarta-feira. Com 28 leitos de UTI ocupados, a unidade tem 170l disponíveis A promessa do governo do Estado é de que até a próxima sexta-feira o hospital terá 400 leitos em atividade, 200 deles de UTI.

Já no Hospital de Campanha do Leblon, há 170 pacientes internados, sendo 82 deles em leitos de UTI. Segundo apuração do G1, 30 leitos estavam vazios à espera da distribuição de pacientes feita pelo Estado, segundo a última atualização da prefeitura. Desde o início da semana, a unidade, construída com doações de um grupo de empresas e administrada pela Rede D'Or, tem sua capacidade máxima de 200 leitos disponíveis, dos quais 100 deles de UTI.

No Parque dos Atletas, o mais recente hospital de campanha aberto, tinha, até quarta-feira, 21 pacientes internados, sendo 19 em UTI. A unidade tem 80 leitos já prontos,e a promessa de 120 leitos estejam construídos no local até o próximo dia 22. Ao todo estão planejados 50 leitos de UTI e 150 de enfermaria. O hospital teve sua construção financiada pela iniciativa privada e é administrado pela rede D'Or.