Com alta adesão para 7 de setembro, apoio de PMs de baixa patente a Bolsonaro chega a 51%

·2 minuto de leitura
SAO PAULO, RAZIL – JUNE 07: A Pro-democracy protester faces off with the military police ( Polícia Militar do Brasil ) during a protest against President Jair Bolsonaro at Largo da Batata on June 7, 2020 in Sao Paulo, Brazil.  President Bolsonaro’s government has stopped publishing the country’s COVID-19 statistics, with the last known numbers topping over 672,000 cases and roughly 1,000 deaths per day. Brazil currently has no official health minister. The country’s interim health minister is a general in the army with no medical or scientific background. (Photo by Victor Moriyama/Getty Images)
Entre PMs de alta patenta 44% são adeptos ao bolsonarismo, mostra pesquisa (Foto: Victor Moriyama/Getty Images)
  • Apoio de policiais militar ao bolsonarismo cresceu de 2020 para 2021

  • Maior apoio está entre PMs de patentes mais baixas, 51% deles são bolsonaristas

  • Fórum Brasileiro de Segurança Pública alerta para possibilidade de ruptura democrática

Já é sabido que no dia 7 de setembro, quando estão marcadas manifestações a favor de Jair Bolsonaro (sem partido), muitos policiais militares estarão nas ruas para mostrar apoio do presidente. Às vésperas dos atos, a adesão dos PMs está ainda maior, é o que mostra um estudo no Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

O levantamento mostra que houve uma disparada no engajamento dos policiais militares em relação ao ano passado. Em 2021, os principais atos em Brasília e São Paulo e as convocações têm sido feitas diretamente por Bolsonaro.

Leia também:

Maior adesão entre patentes baixas

Os dados de agosto mostram que os PMs que mais apoiam o presidente da República são os praças, isto é, os de patente baixa, como soltados, cabos, sargentos e subtenentes. Entre eles, 51% são bolsonaristas. Há um ano, esse índice era 10 pontos percentuais menor.

O estudo mostra que 30% deles interagem com conteúdo radical, incluindo ataques às instituições e demandas antidemocráticas. Em 2020, eram 25%.

Adesão entre patentes mais altas

Segundo o Fórum Brasileiro de Segurança Pública, os oficias de patente maior, como aspirantes a oficiais, tenentes, capitães, majores, tenentes-coronéis e coronéis, 44% são bolsonaristas. Em 2020, esse número era de 34%.

Entre eles, 23% interagem com publicações radicais, um crescimento de 6 pontos percentuais.

O que os números representam

Renato Sérgio de Lima, presidente do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, analisa que os números apontam para a possibilidade real de ruptura democrática. “Esses riscos cresceram do ano passado para esse ano. Existe uma confusão entre a liberdade de expressão dos policiais e das contenções necessárias na democracia”, declarou.

O risco não é apenas no 7 de setembro, segundo o pesquisador. “O problema não é uma ruptura abrupta, mas o esgarçamento dos controles civis. Não é algo que começou com Bolsonaro e nem vai acabar em 2022”, alerta.

Os dados são produzidos pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública por meio de um cruzamento de listagens de policiais da ativa nos Portais de Transparência dos governos estaduais e um levantamento para identificar os perfis deles nas redes sociais, como Facebook e Instagram.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos