Com alta de casos e mortes por Covid-19, Bolsonaro fala em "quase normalidade"

Pedro Fonseca
·1 minuto de leitura
Bolsonaro, no Rio de Janeiro

Por Pedro Fonseca

(Reuters) - O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quarta-feira que o Brasil vive uma "situação de quase normalidade", ignorando as altas recentes nos números de casos confirmados e de mortes por Covid-19 no país.

"Quem esperava depois de meses difíceis chegarmos a uma situação de quase normalidade ainda em 2020? A quem devemos tudo isso? Em primeiro lugar a ele. E depois a vocês que estão aqui, os ministros incluídos, que trabalharam incessantemente, foram iluminados, e conseguiram com suas ações, usando para o bem a máquina do Estado, para fortalecer e dar esperança a mais de 200 milhões de pessoas", disse Bolsonaro em discurso durante cerimônia religiosa no Palácio do Planalto.

O Brasil deve superar nesta quarta-feira a marca de 7 milhões de casos de Covid-19, após registrar um ritmo de disseminação do coronavírus que não era visto desde agosto e setembro. Na véspera, o país registrou 964 mortes pela doença, o maior número desde setembro.

Na semana passada Bolsonaro já havia falado que o Brasil vive "o finalzinho da pandemia".

Segundo epidemiologistas, o chamado "repique" da Covid-19 no Brasil foi impulsionado principalmente pelo relaxamento da adesão das pessoas às medidas de distanciamento social e ao menor uso de máscara, após diversos meses de um isolamento social que foi perdendo força com o passar do tempo.

Bolsonaro sempre se declarou contrário ao isolamento social e ao uso da máscara. Em praticamente todos os eventos que participa, o presidente não usa máscara, assim como todos seus assessores mais próximos.