Com ameaça de 3ª onda e alta de internações, SP vai relaxar quarentena e ampliar vacinação só em julho

·1 minuto de leitura

SÃO PAULO - O estado de São Paulo terá medidas menos rígidas de isolamento social a partir de 1º de junho. Na data, os estabelecimentos comerciais poderão passar a funcionar com público mais amplo e por uma hora a mais por dia, anunciou nesta quarta-feira a gestão Doria. A vacinação, porém, só chegará a novos grupos em julho.

Até o final de maio, o estado seguirá na chamada fase de transição. As regras dela, no entanto, foram afrouxadas para os próximos dias. A ocupação máxima dos locais passa de 30% para 40%. O horário limite de funcionamento, contudo, será igual, até as 21h. O toque de recolher também permanece, valendo das 21h às 5h.

A partir da virada do mês, o limite de público subirá de 40% para 60% e o expediente no comércio e no serviços ganha uma hora, até 22h. Assim, o toque de recolher será das 22h às 5h.

A ampliação da vacinação contra Covid no estado para novos grupos, que até então não estavam anunciados, só virá em julho. Do dia 1º do mês até o 20, serão convocadas as pessoas que têm entre 55 a 59 anos de idade. De 21 a 31, será a vez de profissionais da educação de 18 a 46 anos. O público total desses grupos é de 1,7 milhão de pessoas.

Até lá, a meta no restante de maio e ao longo de junho é completar a vacinação de pessoas com deficiências e comorbidades, uma calendário que foi iniciado no estados nas últimas semanas.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos