Com apelido de Papa-Léguas, ele passou de campeão mundial pelo Corinthians a carrasco do time na Copa do Brasil

Luís Mário com a camisa do Bagé (Divulgação)

Por Bruno Soares

Luís Mário foi um atacante rápido com passagem por diversos clubes do país. Apelido de Papa-Léguas, ele teve seu melhor momento na carreira quando defendeu o Grêmio, entre 2001 e 2003, sendo decisivo para o time gaúcho na final da Copa do Brasil de 2001, contra o Corinthians.

Mas a carreira do ex-atacante ficou marcada por um episódio curioso. Antes de se transferir para o time gaúcho, Luís Mário atuou pelo Corinthians entre 1999 e 2000. Lá ele conquistou um título paulista, do Campeonato Brasileiro e também do Mundial de Clubes. Mas, sem grandes chances de jogar, foi emprestado Grêmio para ter mais minutos em campo e acabou sendo algoz do ex-clube.

Leia mais:

– Paulo Nobre volta a se aliar a Mustafá no Palmeiras
– Santos precisa de um 9. Cueva estreou bem
– Situação tem larga vitória em eleição no Palmeiras

Luís Mário foi decisivo na partida de ida da final da Copa do Brasil de 2001. Após o Grêmio sair perdendo por 2 a 0 no antigo estádio Olímpico, em Porto Alegre, o ex-atacante assumiu o protagonismo da equipe treinada por Tite, marcou duas vezes e deixou o time gaúcho vivo na disputa. No jogo de volta, o Grêmio venceu o Corinthians por 3 a 1, no Morumbi, e ficou com a taça.

Mas apesar da lembrança marcante, Luís Mário prefere não colocar muito peso na conquista tricolor. Ele valoriza também os títulos conquistados pelo Corinthians, em especial o Mundial de Clubes.

“O Mundial foi o grande título de expressão da minha carreira. Antes eu havia ganho o Brasileiro com o Corinthians e depois ganhei a Copa do Brasil com o Grêmio. Eu guardo os dois clubes com carinho no meu coração”, disse em entrevista ao Yahoo Esportes.

E não foi só contra o Corinthians que Luís Mário brilhou. Ele também guarda boas lembranças de um dos maiores clássicos do futebol mundial e ostenta um retrospectivo positivo diante do Internacional, maior rival do Grêmio.

Pelo tricolor gaúcho, o ex-atacante atuou seis vezes contra o Colorado, ganhando duas, empatando três e perdendo só uma partida. “Grêmio e Internacional é o maior clássico que existe no mundo. Foi uma honra para a minha carreira ter jogado vários”.

Após deixar o Grêmio em 2003, Luís Mário virou andarilho pelo mundo do futebol e passou por clubes como Atlético-MG, Ponte Preta, Botafogo, Mogi Mirim, Vitória de Guimarães-POR, Paysandu e encerrou a carreira no Novo Hamburgo, em 2015.

Hoje, aos 41 anos, o Papa-Léguas atua como diretor de futebol do Bagé-RS e diz que tem como objetivo recolocar a equipe do Rio Grande do Sul na elite do futebol local.