Com avanço da vacina e medidas de socorro à economia, EUA criam quase um milhão de empregos em março

NYT
·2 minuto de leitura

NOVA YORK — A recuperação dos empregos nos Estados Unidos ganhou força no mês passado, impulsionada pelo ritmo acelerado das vacinações e uma nova injeção de ajuda federal.

Foram criados 916 mil empregos em março, contra as 416 mil vagas em fevereiro. É o maior número desde agosto de 2020. A taxa de desemprego caiu para 6%, 0,2 ponto percentual abaixo da registrada em fevereiro.

O relatório divulgado nesta sexta-feira pelo Departamento de Trabalho veio um ano depois que a pandemia atingiu em cheio o mercado de trabalho americano. A economia americana perdeu 1,7 milhão de empregos em março de 2020 e mais de 20 milhões em abril, quando a taxa de desemprego atingiu um pico de quase 15%.

No início, o mercado de trabalho se recuperou rapidamente, mas o progresso começou a desacelerar à medida que os casos de Covid-19 aumentaram e os estados impuseram restrições às empresas.

Durante os meses de inverno (setembro a dezembro), a recuperação estagnou, com os empregadores cortando mais de 300 mil empregos em dezembro.

Economistas disseram que os dados mais recentes marcam um ponto de inflexão. Março foi o terceiro mês consecutivo de aceleração das contratações, e ganhos ainda maiores são prováveis nos próximos meses.

Os dados de março foram coletados no início do mês, antes que a maioria dos estados ampliasse o acesso à vacina e antes que a maioria dos americanos começasse a receber cheques de US$ 1.400 do governo federal, como parte do pacote de ajuda mais recente anunciado pelo presidente Joe Biden.

— A maré está mudando — disse Michelle Meyer, economista-chefe do Bank of America para os Estados Unidos.

O relatório, segundo ela , “reafirma a ideia de que a economia está se acelerando significativamente na primavera”.

Os Estados Unidos ainda têm milhões de empregos a menos do que antes da pandemia. Mesmo que os empregadores continuassem contratando no ritmo de março, levaria meses para preencher essa lacuna.

Casos de Covid voltam a aumentar

Além disso, o vírus continua sendo um risco. Os casos de Covid-19 voltaram a aumentar em grande parte do país, à medida que os estados começaram a diminuir as medidas de restrições.

Se essa tendência se transformar em uma nova onda de infecções, pode forçar alguns estados a recuar, impedindo a recuperação do mercado de trabalho e da economia no geral.

Alguns economistas acreditam numa repetição do que aconteceu no fim do ano passado, quando um pico nos casos da Covid-19 empurrou a recuperação para trás.

No entanto, mais de um quarto dos adultos americanos recebeu pelo menos uma dose de uma das vacinass disponíveis contra o coronavírus e mais de dois milhões de pessoas por dia estão sendo vacinadas. Isso deve permitir que a atividade econômica continue a se recuperar.

— Desta vez é diferente, e isso é por causa das vacinas — afirma Julia Pollak, uma economista do trabalho do site ZipRecruiter. — É real desta vez.