Com avanço da ômicron, Brasil tem 'apagão' de dados sobre variante

·2 min de leitura
RIO DE JANEIRO, BRAZIL - DECEMBER 15: Doctors and nurses working 12-hour shifts to vaccinate people against Covid-19, as well as testing to detect the new variant Omicron as the variant is circulating across the country on December 15, 2021 in Rio De Janeiro, Brazil. Brazil registers 227 deaths from Covid-19 in 24 hours, The country accounts for 617,348 deaths and 22,199,331 cases of coronaviruses since the beginning of the pandemic. A hacker attack on the Ministry of Health website, in the application and on the ConnectSUS page â platform that shows proof of vaccination against Covid-19 â in the early hours of Friday (10), indirectly affected the dissemination of cases and deaths. (Photo by Fabio Teixeira/Anadolu Agency via Getty Images)
Profissionais da saúde em posto de vacinação no Rio de Janeiro

A variante ômicron vem avançando pelo mundo, com países como EUA e Reino Unido batendo recordes de novos casos diários.

Estudos recentes apontam que essa variante do novo coronavírus é mais transmissível. Com as festas de final de ano, autoridades estão preocupadas com uma explosão de novos casos.

O Brasil, porém, sofre um "apagão de dados" para monitorar a doença que matou mais de 610 mil brasileiros.

Segundo reportagem do UOL, o Sivep-Gripe, sistema que registra casos graves e mortes por covid-19, segue com instabilidades e impossibilita que se acesse dados atualizados. No site de monitoramento da covid do governo de São Paulo, há uma nota explicando que não houve atualização de casos e óbitos entre 11 e 29 de dezembro por problemas no sistema federal. 

Os registros de novos casos, feitos por profissionais de saúde no sistema E-Sus Notifica, já vinham sofrendo instabilidade por causa de atualizações. A situação piorou no último dia 10 quando os sistemas do Ministério da Saúde foram atacados por hackers. A pasta diz ter normalizado as plataformas, mas estados seguem com dificuldades para acessar a plataforma.

Testar a população

Para saber se a doença está sob controle ou não, a recomendação é uma testagem em massa, coisa que não vem acontecendo por aqui. Há mais de um mês o Brasil não sabe quantos testes estão sendo feitos. Os dados públicos do Ministério da Saúde apresentam defasagens e divergências. Os últimos dados disponíveis na plataforma do Ministério da Saúde são do dia 11 de novembro, e mostram 213.313 testes PCR feitos em novembro

Mesmo com dados inconsistentes, é possível observar que o número de testes vem despencando desde o auge da pandemia. Em março deste ano, foram 2,4 milhões de PCRs, mas os números vêm caindo mês a mês, segundo recente boletim epidemiológico do Ministério da Saúde.

Apesar da escassez de informações, estudos indicam avanço da variante pelo país. Um levantamento doTodos pela Saúde analisou 30.483 testes de covid-19 feitos em 396 cidades de 16 estados entre 1º e 25 de dezembro. Das 640 amostras positivas, 203 (31,7%) eram casos prováveis da variante ômicron. Esses casos foram identificados em 47 cidades de oito estados.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos