Com avanço da variante Delta, RJ vai prorrogar flexibilização de medidas restritivas

·2 minuto de leitura
RIO DE JANEIRO, BRAZIL - JULY 29: Funeral workers carry out burials of Covid-19 victims at Inhauma Cemetery, north of the city, in Rio de Janeiro, Brazil on July 29, 2021. Brazil has more than 1,300 deaths for the 3rd day in a row this Thursday. The country reached the mark of 553,179 lives lost since the beginning of the pandemic. The number of infected is 19,839,369, with 42,283 new confirmed cases in the last 24 hours. (Photo by Fabio Teixeira/Anadolu Agency via Getty Images)
Vítima de covid-19 é enterrada em cemitério no Norte da cidade do Rio de Janeiro. Foto:Fabio Teixeira/Anadolu Agency via Getty Images
  • Primeira etapa deveria começar em 2 de setembro na capital carioca

  • A última fase deveria começar em 15 de novembro

  • Não há data para retomada do plano

A cidade do Rio de Janeiro vai adiar o plano gradual de flexibilização de medidas restritivas contra o coronavírus, que deveria começar em duas semanas. O motivo é o avanço da variante Delta.

Segundo a Prefeitura, não há uma nova data para início da flexibilização. O prefeito Eduardo Paes (PSD) havia informado, no fim de julho, que o plano teria três fases progressivas. A primeira, que começaria em 2 de setembro, incluiria a liberação parcial de boates e de público nos estádios. Na terceira, que começaria no dia 15 de novembro, o uso de máscaras em áreas livres seria abolido.

“Diante do recente aumento do número de casos da doença devido à circulação da variante delta, do retorno de todo o mapa de risco para alerta moderado e da recomendação do Comitê Especial de Enfrentamento da Covid-19, o plano de reabertura foi adiado”, anunciou a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), em nota.

Leia também:

“Desde o primeiro anúncio sobre o plano de reabertura, foi frisado que essas medidas estavam condicionadas a um cenário epidemiológico favorável. Em não confirmando essas condições, o planejamento poderia ser revisto”, explicou a SMS.

Paes, no entanto, já havia afirmado no começo de agosto que não seria um “liberou geral”.

“Não tem liberou geral, desculpa se passei essa impressão. Se continuarmos com o registro desse aumento de casos, a tendência não é de abrir, mas fechar mais. Se o cenário epidemiológico piorar, acabou o plano de abertura”, afirmou na ocasião

Para Daniel Becker, pediatra, sanitarista e membro do comitê científico da prefeitura, “a epidemiologia mudou”.

“Aumentou a transmissão por causa da variante delta, que de fato é muito transmissível. Está se refletindo já no aumento de movimentação dos hospitais. Nós temos que acompanhar o que vai acontecer com a pandemia nos nas próximas semanas”, explica.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos