Com Bolsonaro, PL já arrecadou R$ 2,5 milhões em doações

Maiores doações foram feitos por empresários, representantes do agronegócio e políticos ao PL, partido de Bolsonaro. (Foto: Buda Mendes/Getty Images)
Maiores doações foram feitos por empresários, representantes do agronegócio e políticos ao PL, partido de Bolsonaro. (Foto: Buda Mendes/Getty Images)

O Partido Liberal já conseguiu arrecadar, somente no período de pré-campanha, R$ 2,5 milhões com empresários. O valor chega a 62% do volume recebido pela campanha do presidente Jair Bolsonaro (PL) em 2018. As informações são da coluna de Rodrigo Rangel, do portal Metrópoles.

De acordo com os extratos apresentados pela sigla ao Tribunal Superior Eleitoral, a maior doação foi feita pelo banqueiro José Felipe Diniz, acionista e conselheiro do Banco Inter. O empresário fez dois repasses que somam R$ 600 mil, nos meses de março e maio.

Em 2019, Bolsonaro publicou um decreto que autorizava o banco a ter até 100% de participação estrangeira no capital. O argumento do governante, na época, era que a medida servia ao “interesse do governo brasileiro”.

Quatro integrantes da família Koren Lima, dona da operadora de saúde Hapvida, compõem o segundo maior volume de doações ao partido do mandatário. Foram quatro repasses que, somados, dão o total de R$ 1,2 milhão.

Veja como foram as últimas pesquisas eleitorais de 2022:

A família passou o mesmo montante à campanha do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Políticos também estão na lista de doadores para a campanha de Bolsonaro. O ex-senador de Roraima Sodré Santoro transferiu R$ 250 mil em março para a conta do PL. Já Maurício Tonhá, ex-prefeito de Água Boa, pequeno município do Mato Grosso, fez doação de R$ 100 mil.

Segundo o colunista, outros 15 empresários do agronegócio fizeram doações de R$ 10 mil cada ao partido de Valdemar Costa Neto.

Em 2018, Bolsonaro declarou R$ 4 milhões recebidos em doações para a campanha. Apesar do valor destinado ao PL já quase atingir o do último pleito, o valor ficou aquém do esperado.

Por isso, o atual presidente da República gravou um vídeo na semana passada em que pede doações para a campanha.