Com clima de tensão nos EUA, posse de Joe Biden terá mais de 20 mil membros da Guarda Nacional

·1 minuto de leitura
US President-elect Joe Biden makes remarks after receiving the second course of the Pfizer-BioNTech Covid-19 vaccine on January 11, 2021 at Christiana Hospital in Newark, Delaware, administered by Chief Nurse Executive Ric Cuming. (Photo by JIM WATSON / AFP) (Photo by JIM WATSON/AFP via Getty Images)
Joe Biden assume a presidência dos Estados Unidos em 20 de janeiro (Foto: JIM WATSON/AFP via Getty Images)

No próximo dia 20, quando Joe Biden assume a presidência dos Estados Unidos, Washington terá mais de 20 mil membros da Guarda Nacional. A informação foi confirmada pelo chefe da Polícia da capital, Robert Contee.

A decisão se dá em meio ao clima de tensão nos Estados Unidos, que chegou ao auge com a invasão do Capitólio por apoiadores de Donald Trump. O atual presidente, inclusive, declarou que não irá ao Dia de Inauguração.

Antes, a expectativa era que o número de soldados mobilizasse fosse de 10 a 15 mil. No entanto, a avaliação é de que o clima requer fortalecimento das forças de segurança. “Acredito que podemos esperar mais de 20 mil efetivos da Guarda Nacional que estarão no Distrito de Columbia”, afirmou Contee.

Leia também

De acordo com o Pentágono, o esquema de segurança terá quase 30 mil soldados da Guarda Nacional, além do Serviço Secreto, da Polícia do Capitólio, da Polícia de Parques Nacionais e da polícia local.

Neste fim de semana, dias antes da posse de Biden, 10 mil soldados já estarão em Washington.