Com desistência de Osaka roubando atenções, Roland Garros terá final feminina inédita em segundo plano

·1 minuto de leitura

Após a saída precoce e conturbada de Naomi Osaka ter roubado todos os holofotes desta edição, a grande final feminina acabou ficando em segundo plano em Roland Garros. A tcheca Barbora Krejcíková e a russa Anastasia Pavlyuchenkova se enfrentam neste sábado, às 10h (de Brasília), tentando levar o protagonismo do torneio para dentro de quadra.

As tenistas formam a decisão inédita que ninguém apostava. Os melhores resultados da tcheca e da russa em Grand Slams até então havia sido as oitavas e as quatas de final, respectivamente.

Pavlyuchenkova alcançou assim sua primeira final de Grand Slam em sua 52ª tentativa, quebrando o recorde da italiana Roberta Vinci, que chegou à final do US Open 2015 em sua 44ª participação em majors.

Já Krejcíková tenta o feito de ser campeã no simples e nas duplas em uma mesma edição de Roland Garros. A última vez que isso aconteceu foi com a francesa Mary Pierce, em 2000. A tcheca disputa a final ao lado da compatriota Katerina Siniaková no domingo, contra Iga Swiatek e BethanieMattek-Sands.

Esta final também reforça o equilibro entre as mulheres no tênis atual. Ao contrário do masculino, em que o domínio de Rafael Nadal é avassalador, a chave feminina é sempre muito aberta. As últimas 13 edições de Roland Garros, tiveram onze vencedoras diferentes, e neste sábado teremos novamente uma tenista levantando a taça pela primeira vez.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos