Com elenco 100% negro, cantor lança clipe sobre a ditadura dos padrões de beleza

Para Volp é importante que pessoas negras se vejam representadas de maneiras positivas. Foto: Mateus Matos/Divulgação

Para falar sobre identidade, autoaceitação e a ditadura dos padrões de beleza em uma sociedade estruturalmente racista, o cantor Volp lançou o clipe do single Sua Pele na última quinta-feira (5).

Produzido de forma independente e com um elenco 100% negro, o clipe narra a jornada de quatro jovens em busca de autoaceitação. Em entrevista ao Yahoo, o cantor conta que o seu processo de luta contra os padrões de beleza foi importante para que ele pudesse falar sobre isso em seu trabalho.

“Se há 10 anos eu estivesse compondo sobre aceitação, não soaria nem um pouco verdadeiro. A ditadura da beleza sempre estabeleceu um padrão de perfeição que, para muitos, é inatingível. Por muito tempo eu quis fazer parte disso. Hoje, eu finalmente sei que esse padrão não me interessa”, explicou.

Leia também:

Leia a entrevista completa:

Sua música fala sobre autoaceitação. Me conte como foi esse processo pra você.

Volp: Se há 10 anos eu estivesse compondo sobre aceitação, não soaria nem um pouco verdadeiro. A ditadura da beleza sempre estabeleceu um padrão de perfeição que, para muitos, é inatingível. Por muito tempo eu quis fazer parte disso. Hoje, eu finalmente sei que esse padrão não me interessa. Mas a autoaceitação é um processo contínuo. A mídia, por exemplo, puxa a gente o tempo todo para um código estético. Por outro lado, acho confortante saber que existem milhares de pessoas transitando de volta para si mesmas.

Por qual motivo essa música é importante para as pessoas que ainda acreditam nos padrões de beleza?

Volp: O padrão de beleza é traiçoeiro e, uma hora ou outra, essa pessoa vai sofrer as consequências disso. Muita gente no mundo inteiro chega a tirar a vida por não se sentir aceito por si ou pelos outros. Então, eu acredito na arte como um instrumento de ressignificação.

Por qual motivo você escolheu fazer um clipe com elenco todo negro?

Volp: Minha música é para as pessoas de todas as cores e tribos. Porém, a população mundial é estruturalmente programada para encontrar beleza nas pessoas de pele clara. Eu quero que as pessoas de onde eu vim se vejam representadas nessa canção. Eu quero me ver no meu próprio trabalho. E nada disso é possível se repetirmos os padrões que não nos enquadram.

Por qual motivo essa escolha de elenco é importante?

Volp: No último dia de filmagem, lembro que sentei com o pessoal do elenco e começamos a dividir histórias sobre quando fomos vítimas de racismo e preconceito. A gente tava rindo da fala de alguns professores universitários elitistas e de toda gente que se sente ameaçado pela nossa ocupação. Então, tem um pouco disso também: dividir as oportunidades com quem está no mesmo corre e buscar representatividade sempre.

Veja o clipe: