Governo federal promete mais recursos para Bahia enfrentar estragos da chuva após cobrança

·2 min de leitura
Pessoas caminham por ruas alagadas em Itajuipe, na Bahia

BRASÍLIA (Reuters) -O ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, prometeu nesta terça-feira que o governo federal vai editar uma nova medida provisória com mais recursos para o enfrentamento dos transtornos causados pelas fortes chuvas na Bahia, após ter sido cobrado pelo governador do Estado, Rui Costa.

O chefe do Executivo baiano fez um apelo por um "aporte direcionado" para o Estado depois de detalhar que, dos 200 milhões de reais de medida provisória editada pelo presidente Jair Bolsonaro mais cedo para vários Estados, 80 milhões de reais seriam destinados ao Nordeste, e não apenas para a Bahia.

Em entrevista coletiva conjunta, Marinho respondeu Rui Costa imediatamente, com a promessa de novos recursos.

"Nós estamos aguardando um diagnóstico mais apurado para saber qual é a necessidade, e será feito o que for necessário, não apenas nas estradas, mas estradas vicinais, casas, infraestrutura urbana. Agora vamos precisar um pouco mais de tempo para receber esses informes", disse.

"Esse montante será fruto de uma medida provisória de crédito extraordinário que certamente contará com apoio de todos, da bancada federal, do povo brasileiro, com aqueles que estão sofrendo efeitos de uma catástrofe climática", acrescentou o ministro na coletiva realizada em Ilhéus (BA).

As chuvas na Bahia já causaram 20 mortes e forçaram milhares de pessoas a saírem das suas casas nos últimos dias. No final de semana, duas barragens romperam no Estado, alagando bairros inteiros em algumas cidades e provocando destruição.

Em entrevista mais cedo, o governador da Bahia disse que há cerca de 50 mil desalojados e que no momento se está fazendo um cadastro nominal das famílias cujas casas foram destruídas ou terão de ser demolidas. Segundo ele, serão necessárias 5 mil novas casas, num orçamento de quase 400 milhões de reais.

"O estrago é gigantesco, parece um verdadeiro bombardeio que foi feito no Estado da Bahia", disse.

O ministro Marinho e os ministro da Cidadania, João Roma, e da Saúde, Marcelo Queiroga, sobrevoaram os municípios baianos atingidos nesta manhã. Bolsonaro optou por viajar para Santa Catarina a fim de passar o Réveillon.

Roma disse ter falado mais cedo com Bolsonaro, e destacou que o BNDES está liberando uma linha de crédito para ajudar na retomada do desenvolvimento da região.

O presidente editou uma medida provisória nesta terça que abre um crédito extraordinário de 200 milhões de reais para o Ministério da Infraestrutura usar na recuperação de rodovias danificadas pelas fortes chuvas na Bahia e em outros Estados.

"Determinei edição de MP de Crédito Extraordinário, no valor de R$200 milhões, a fim de viabilizar, no DNIT, a reconstrução de infraestruturas rodoviárias danificadas pelas chuvas nos Estados da Bahia (mais afetado), Amazonas, Minas Gerais, Pará e São Paulo", disse Bolsonaro em postagem no Twitter.

(Reportagem de Ricardo BritoEdição de Pedro Fonseca)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos