Com florestas em chamas, governo Bolsonaro investiu 24% a menos no combate ao fogo em setembro

Fiquem Sabendo
·2 minuto de leitura
(AP Photo/Andre Penner)
(AP Photo/Andre Penner)

O dinheiro aplicado pelo governo federal no combate ao fogo em áreas florestais no mês de setembro deste ano ficou R$ 1 milhão abaixo do investido no mesmo mês do ano passado, uma queda de 24%.

Enquanto isso, no mesmo período, os incêndios florestais no Pantanal triplicaram e aumentaram em 61% na Amazônia, segundo dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). Para completar, o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais (Ibama) determinou a interrupção dos trabalhos das brigadas de incêndio na região nesta quinta-feira (22) por “indisponibilidade financeira”.

Leia também

Os dados apurados pela agência Fiquem Sabendo a partir de relatórios orçamentários do Ibama disponíveis no Portal da Transparência mostram que, no conjunto dos meses de julho, agosto e setembro deste ano, quando se intensificaram os focos de calor no Pantanal, o total aplicado em prevenção e combate a incêndios em áreas florestais prioritárias foi 18% menor do que no mesmo período do ano passado.

Foram R$ 9 milhões, contra R$ 11 milhões no ano anterior. A redução foi mais significativa em setembro, quando o investimento caiu de R$ 4,5 milhões no ano passado para R$ 3,4 milhões este ano.

A retirada de todas as brigadas de combate a incêndios foi comunicada por meio de ofício, assinado pelo chefe do Centro Especializado Prevfogo/Dipro, Ricardo Vianna Barreto. Segundo o documento, todas as unidades deveriam retornar às suas “respectivas Bases de origem, a partir das 00:00H (zero hora) do dia 22 de outubro de 2020, onde deverão permanecer aguardando ordens para atuação operacional em campo”.

Em nota ao portal G1, o Ibama alegou que o programa contabiliza R$ 19 milhões em pagamentos atrasados e, por isso, optou por suspender as operações.

Quer acessar e descobrir como obter dados públicos inéditos? Inscreva-se na Don't LAI to me, a newsletter da Fiquem Sabendo para quem quer informação direto da fonte.

Redes sociais

Twitter: @_fiquemsabendo

Instagram: @_fiquemsabendo

Facebook: Fiquem Sabendo

Linkedin: Fiquem Sabendo