Com Gabigol e narração de Everaldo Marques, torneio de futebol on-line começa nesta quinta; saiba mais

Marcello Neves

A pandemia do novo coronavírus impede qualquer previsão de retorno do futebol brasileiro, mas os torcedores poderão matar a saudade dos seus ídolos de maneira diferente. A partir desta quinta-feira, o SporTV irá transmitir o 'FC: Futebol de Casa', torneio de futebol on-line que reúne diversos jogadores da Série A do Campeonato Brasileiro. Entre eles, estrelas como Gabigol, do Flamengo, Talles Magno, do Vasco e Antony, do São Paulo.

A ideia é montar um "Brasileirão virtual" onde os atletas que estariam dentro das quatro linhas pelo Brasil mostrem as suas habilidades no videogame. Cada participante recebeu um kit completo da Playstation, composto por um PS4 com controle, headset, um ID na PSN Plus, além do game Pro Evolution Soccer 2020. As partidas terão narração de Everaldo Marques e comentários de Murilo “Muuh Pro”, o maior youtuber de futebol eletrônico do Brasil.

- Como narrador, o principal desafio é a velocidade do jogo, porque muitas vezes o futebol virtual é mais dinâmico do que o da vida real. Toda hora tem alguma coisa acontecendo, então tem que ficar ligado para não perder nenhum lance. Eu já jogava futebol virtual antes do projeto, mas a partir da convocação para narrar o ‘FC: Futebol de Casa’, comecei a jogar mais, para poder inclusive passar por algumas situações que poderão ser aplicadas nas transmissões - conta Everaldo Marques, ao GLOBO.

O torneio será disputado em confrontos eliminatórios de 15 minutos. Os craques dos gramados serão divididos em dois grupos com três jogadores cada. Dentro dos grupos, todos jogam contra todos e os dois melhores de cada grupo avançam para as semifinais, que definem os dois finalistas.

Tabela de jogos

Quinta-feira, 14

17h30 - Bruno Fuchs (Internacional) x Antony (São Paulo)

Guga (Atlético-MG) x Soteldo (Santos)

Gabigol (Flamengo) x Bruno Fuchs (Internacional)

Sexta-feira, 15

17h30 - Antony (São Paulo) x Gabigol (Flamengo)

Guga (Atlético-MG) x Talles Magno (Vasco)

Talles Magno (Vasco) x Soteldo (Santos)

Sábado, 16

16h30 - Semifinal 1

a seguir - Semifinal 2

a seguir - Final

Ao GLOBO, o head de Games e eSports da Globo, Leandro Valentim, falou sobre o projeto.

Qual o critério utilizado para escolha dos jogadores participantes do Futebol de Casa?

Buscamos atletas que jogam videogame, futebol eletrônico, PES, e que tivessem ligação com suas torcidas. Também jogadores que pudessem jogar com seus personagens, seus avatares. Mas como para ter o seu personagem dentro jogo o jogador precisa ser maior de idade, abrimos uma exceção no caso do atacante Talles Magno, do Vasco. Ele ainda não tem 18 anos e por isso comandou seus companheiros de time durante o torneio.

Por que o PES foi escolhido para ser o jogo do ‘FC: Futebol de Casa’?

O PES foi escolhido por ser o jogo que possui os direitos dos times e dos jogadores brasileiros. Como é uma competição com os jogadores brasileiros e seus respectivos times, fazia muito mais sentido ter o jogador atuando com o seu próprio avatar, defendendo o seu time e com seus companheiros.

Como foram definidas as regras do torneio?

Desenhamos um formato de competição para que cada jogador pudesse jogar pelo menos duas vezes. Por isso são seis jogadores por semana. Dividimos os atletas em dois grupos de três, com todos se enfrentando dentro dos seus grupos. Os dois mais bem colocados de cada grupo seguem para a fase final, composta por semifinais e uma grande final. O vencedor da primeira semana se habilita para a disputa do Controle de Ouro e será desafiado pelo campeão da segunda semana. O vencedor da terceira semana desafia o detentor do Controle de Ouro para definir quem será o grande vencedor do ‘FC: Futebol de Casa’

Torneios de eSports tem se popularizado na pandemia. A La Liga promoveu algo parecido na Espanha, a CBF idem, contra a AFA. Vocês observaram esses torneios para planejar o Futebol de Casa?

Desde o início, pensamos em alternativas para levar um pouco de entretenimento e estimular as pessoas a ficar em casa. Além disso, era uma chance de os próprios jogadores contarem um pouco do seu dia a dia e como estavam fazendo para manter a forma. Acompanhamos todos os eventos desde o início da pandemia, não só os de futebol. Tem vários cases muito bacanas. Para citar um de fora do futebol, tem o torneio da Fórmula 1, com coisas muito legais. Observamos e também criamos coisas exclusivas, pois o grande desafio foi fazer tudo isso em um projeto de broadcasting totalmente remoto. Desde o início colocamos isso como uma premissa. Não colocaríamos ninguém na casa das pessoas, não teríamos câmeras, nem ninguém gravando. Criamos as condições de mandar kits para a casa dos jogadores, para que eles pudessem operar. Do nosso lado, trabalhamos com o time de tecnologia para que a transmissão fosse 100% remota.

Haverá premiação para o campeão?

O troféu do ‘FC: Futebol de Casa’ será o Controle de Ouro. Serão três torneios semanais, com seis jogadores, não necessariamente os mesmos. Os campeões de cada semana irão disputar o troféu, que é o Controle de Ouro. O vencedor da primeira semana está apto a ser desafiado pelo campeão da semana seguinte. Ao final da última semana de competições, quem terminar com o Controle de Ouro será o grande campeão e fica com o troféu.

Além do PES, os clubes brasileiros possuem outras equipes de eSports, como League of Legends e Free Fire. Há previsão para torneios destes jogos?

Temos acompanhado muito de perto o que os clubes brasileiros vêm fazendo em eSports. Nós transmitimos o CBLoL, o Campeonato Brasileiro de League of Legends, e acompanhamos toda a história do Flamengo, com a sua conquista. Da mesma forma, cobrimos o Corinthians no Free Fire e, agora, transmitimos também a disputa da primeira divisão do jogo. Apoiamos esse movimento dos clubes indo para os eSports, mas entendendo que, neste caso, falamos de jogadores profissionais de videogame, de pro-players. Não são jogadores de outros esportes ou de futebol que jogam.

Qual objetivo esperam alcançar com o FC: Futebol de Casa?

Por um lado, levar diversão para a casa das pessoas e aproximar a torcida dos seus ídolos nesses tempos sem futebol. Saber o que eles estão fazendo é também um estímulo para que as pessoas permaneçam em casa. Outro objetivo é popularizar mais as competições de videogame. Cada vez mais, o videogame é um entretenimento e há muito tempo se tornou algo profissional, uma indústria, que são os eSports. Temos uma série de iniciativas neste sentido, então temos a missão de popularizar, levar para o mainstream e dar cada vez mais luz a essas iniciativas. Entendemos que isso vai crescer e, cada vez mais, vamos ver iniciativas de games nas TVs fechada e aberta, além do digital que é o ambiente nativo dos games.