Com gasolina do vizinho mais barata, brasileiros atravessam fronteira com Argentina para abastecer. Receita aumenta fiscalização

·2 min de leitura

Para fugir da alta no preço da gasolina, brasileiros estão atravessando a fronteira e abastecendo os carros na Argentina. A busca por combustíveis em Porto Iguaçu, no país vizinho, levou postos locais a limitarem o fornecimento a 15 litros por veículo estrangeiro ao dia.

Equanto isso, do lado de cá da fronteira, os postos de Foz do Iguaçu (PR) tinham procura bem menor vendendo gasolina brasileira entre R$ 6,35 e R$ 7 o litro. Na Argentina, o valor médio estava em torno de R$ 3,15.

“Estamos tentando aumentar a produção, mas lamentavelmente temos uma cota de abastecimento. Ou seja, não nos permitem mais do que uma certa quantidade de combustível porque o preço está muito baixo, e o barril do petróleo subiu para US$ 80”, afirmou o representante da Câmara de Combustíveis de Missiones, Faruk Jalaf, ao jornal argentino Clarín.

Mas além de ir de carro abastecer do outro lado da fronteira, muitos brasileiros estão se arriscando a trazer galões de gasolina e até botijões de gás argentinos para o Brasil.

Com o aumento do número de casos de revendas ilegais de botijões de gás e galões de gasolina no Brasil, a Receita Federal iniciou na região a Operação Nafta para intensificar a fiscalização na fronteira para impedir a entrada de combustíveis ilegalmente no país.

Desde o início da operação em Dionísio Cerqueira, há duas semanas, foram apreendidos 2,5 mil litros de gasolina e 130 botijões de gás.

A Receita alerta para os riscos desse tipo de revenda sem o cumprimento de procedimentos de segurança e regularização da carga.

Cruzar a fronteira não é tarefa simples, apesar da integração do Mercosul. A Polícia Federal exige que os brasileiros registrem a saída. Já na aduana argentina, são cobrados documentos pessoais e comprovante de vacinação completa.

*Estagiário, sob supervisão de Danielle Nogueira.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos