Com gol nos acréscimos, Palmeiras vence América-MG e é bicampeão da Copinha

Na tarde desta quarta-feira, em que se comemora o aniversário da cidade de São Paulo, o Palmeiras conquistou pela segunda vez a Copinha. Diante dos torcedores que lotaram as arquibancadas do Estádio do Canindé, o time fez bonito e venceu o América-MG por 2 a 1, com gols de Ruan Ribeiro e Patrick, e Renato Marques descontando para os mineiros.

Se durante boa parte da partida quem dominou o duelo foi o América-MG, o time mineiro não conseguiu converter a vantagem em gols. Mesmo jogando sob os cantos dos torcedores do Palmeiras, o time mineiro já começou a partida presssionando, mas com pouca eficácia na criação de jogadas. E a equipe paulista precisou apenas de uma bola para ficar à frente no placar.

Depois de um erro na saída de bola, Gustavo viu Vitinho correndo em direção à área adversária. Ele deu um passe na medida para o jogador receber a bola já fora da marcação, e ele cruzou rasteiro para Ruan Ribeiro empurrar para o fundo do gol na marca dos 17 minutos. Foi o nono gol do atacante, que já estava isolado na liderança da artilharia da competição. A validade do lance foi confirmada pelo VAR.

O empate poderia ter vindo aos 26 minutos do primeiro tempo, mas o forte chute de Adyson encontru apenas a travessão, depois do goleiro Aranha desviar a bola. Minutos depois, o atacante fez bela jogada individual aplicando uma caneta em Léo, e ao ser derrubado na área conseguiu um pênalti para sua equipe. Na primeira cobrança da penalidade, o chute de Renato Marques parou nas mãos de Aranha, mas como o pênalti não foi autorizado, ele repetiu a cobrança. A segunda chance resultou no gol de empate do Coelho.

No segundo tempo, aos 5 minutos, a rede balançou mais uma vez para o América-MG. Mas no chute de Samuel, Luan estava posicionado bem à frente do goleiro Aranha, que não conseguir impedir a bola de entrar. Mesmo sem ter tocado na bola, a participação no lance, impedido, foi o suficiente para o árbitro invalidar o gol.

A partir daí, as duas equipes continuaram tentando desempatar a partida e evitar a decisão por pênaltis. E aos 47 minutos do segundo tempo, o Palmeiras conseguiu. Depois de cobrança de escanteio, Thalys finalizou e a bola sobrou para Patrick, que entrou no intervalo, empurrou para o gol e decidiu o jogo. A partida se estendeu até os 52 minutos, mas com substituições de dois lados, o clube paulista conseguiu segurar a vantagem e sagrar-se bicampeão.