Com humor e seriedade, os Obama revelam seus retratos na Casa Branca

Ele com muito humor e ela com seriedade, Barack e Michelle Obama revelaram nesta quarta-feira (7) seus retratos oficiais na Casa Branca, retomando uma tradição de cortesia política interrompida por Donald Trump.

“Bem-vindos em casa!”, disse a eles o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, que restaurou, um mandato depois, o costume de que todos os ex-presidentes e suas esposas sejam recebidos por seus sucessores na residência oficial para esta cerimônia.

O presidente, junto com sua esposa Jill Biden, relembrou extensamente os oito anos em que foi vice-presidente de Barack Obama, destacando a camaradagem que os uniu. "Estávamos contando com você. E sigo contando", disse.

"Ele não poderia ter feito isso sem você", afirmou Michelle Obama, enfatizando os laços entre as duas famílias.

"Você estava comigo quando meu filho estava morrendo", lembrou o democrata de 79 anos a Barack Obama, evocando a morte de Beau Biden por câncer. "Nunca vai saber o quanto isso significou para Jill e para mim", acrescentou.

O casal revelou então as pinturas, feitas a partir de fotografias e que agora vão enfeitar as paredes da Casa Branca.

No retrato feito por Robert McCurdy, Barack Obama está de pé com as mãos nos bolsos de um terno escuro, com um leve sorriso nos lábios, pintado de forma ultrarrealista em um fundo branco.

Já na pintura de Michelle Obama, por Sharon Sprung, a ex-primeira-dama posa em um sofá na Sala Vermelha da Casa Branca, usando um vestido de gala azul-claro. Seu olhar é direto e sua expressão tem uma pitada de humor.

Barack Obama fez algumas piadas sobre sua visita à Casa Branca e sobre seu retrato, lamentando que o artista não escondesse seus cabelos brancos ou reduzisse o tamanho de suas orelhas.

Ele também elogiou seu ex-vice-presidente, "um verdadeiro amigo". "Joe, os Estados Unidos têm muita sorte de tê-lo como presidente", disse sob aplausos dos presentes, entre eles muitos de seus ex-colaboradores.

Michelle Obama, em um discurso muito mais político que o do marido, insistiu no símbolo representado por esses retratos do primeiro presidente e a primeira primeira-dama negros dos Estados Unidos.

"A garota que eu fui não deveria morar nesta casa", ou ter seu retrato pendurado ao lado do de Jacqueline Kennedy, declarou. "O que estamos vendo (...) é um lembrete de que há um lugar para todos neste país."

Donald Trump, que rompeu com vários atos protocolares como esse, e que não poupou ataques contra Barack Obama, nunca o recebeu para revelar seu retrato.

Até agora, o governo Biden não anunciou nenhum plano para dispor a pompa da Casa Branca para o ex-presidente republicano.

aue/rle/ad/ltl/ic