Com inflação em alta, substituir alimentos é o segredo para economizar no almoço de Páscoa

Stephanie Tondo
·2 minuto de leitura

Com o dólar e a inflação dos alimentos em alta, o almoço de Páscoa pode sair mais caro este ano, já que itens tradicionais como o bacalhau, vinhos e azeites costumam ser importados. Para escapar do aumento e preços, a recomendação é buscar alternativas, que vão desde pescados nacionais à carne de jaca.

Em 12 meses, carnes e peixes industrializados registraram aumento de 16,35% nos preços, segundo o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de fevereiro. Pescados sofreram alta de quase 4%, enquanto aves e ovos ficaram 13,26% mais caros.

Por outro lado, houve queda no preço da batata-inglesa (47,84%), do tomate (8,41%) e do arroz (69,80%), o que ajuda a garantir os principais acompanhamentos da ceia.

Vale à pena apostar também nas frutas e verduras da época, que costumam chegar aos supermercados e feiras com preços mais baixos. Este mês, se destacam a carambola e o figo, que podem ser usados tanto em sobremesas, quanto em saladas, além da goiaba, abóbora, berinjela, beterraba, espinafre e quiabo.

— As marcas próprias dos supermercados também têm tido uma oferta grande de produtos para a Páscoa, como vinhos e espumantes, que saem de 20% a 30% mais baratos — afirma o consultor de Varejo Marco Quintarelli.

Segundo ele, o bacalhau continua sendo a vedete do almoço de Páscoa, mas o varejo tem apostado também em produtos alternativos.

É o caso da rede Pão de Açúcar, que colocou à disposição dos consumidores o lançamento da The New Butchers: um bolinho de bacalhau, que têm textura, gosto e aparência de bacalhau, mas, na verdade, é feito de carne de jaca.

Para as lojas do Extra Hiper e Mercado Extra, a estratégia é garantir a maior percepção de economia para os clientes, com opções que cabem no bolso para não deixar a data passar em branco, como é o caso do bacalhau Macrocephalus e a espécie Zarbo, que são mais baratos em relação aos tradicionais tradicionais Porto Morhua e Ling.

— Na Sexta-Feira Santa existe uma procura grande por pescados, e aí normalmente o preço sobe. A opção para economizar é sempre pelos mais populares, como a sardinha, cavalinha, trilha. Para o domingo, o carioca gosta muito do bacalhau, mas como está mais caro, talvez opte pelas aves especiais, como o peru, ou até mesmo o pernil, que é ainda mais barato. Pode fazer também uma salada de batata com atum ou sardinha em lata — sugere Quintarelli.