Com Janja ao lado, Lula volta a despachar do Planalto após ‘varredura’ da PF

Primeira-dama Janja terá gabinete ao lado de Lula no Palácio do Planalto - Foto: Andressa Anholete/Getty Images
Primeira-dama Janja terá gabinete ao lado de Lula no Palácio do Planalto - Foto: Andressa Anholete/Getty Images

Após a Polícia Federal (PF) realizar uma ‘varredura’, nesta terça-feira (3), no gabinete do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), ele volta a despachar no Palácio do Planalto, nesta quarta-feira (4).

Durante o período em que a sala passava por remodelagem e varredura, o presidente estava realizando os despachos do hotel onde está hospedado em Brasília.

No Planalto, nesta quarta, o petista terá ao menos cinco agendas. Entre elas, quatro são reuniões com ministros do novo governo: Fernando Haddad (Fazenda), Mauro Vieira (Relações Exteriores), Alexandre Padilha (Secretaria de Relações Institucionais) e Paulo Pimenta (Secom).

O presidente da República também vai participar da cerimônia de transmissão de cargo do vice-presidente da República, Geraldo Alckmin, como ministro do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços.

Sobre a ‘varredura’ realizada nesta terça, uma equipe da PF e funcionários do Planalto preparam o espaço, localizado no terceiro andar do prédio, para receber Lula.

A medida tem o objetivo de verificar a eventual existência de grampos e escutas telefônicas que possam ter sido instaladas indevidamente, e garantir a total segurança dos ambientes de trabalho.

Durante a ação no gabinete, houve troca de mobília. Entre elas, a mesa principal usada pelo agora ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) e uma mesa de centro e os sofás mudaram de posição.

A partir da conclusão da ‘varredura’ no gabinete, o entorno de Lula avaliou que não há mais necessidade de ele despachar do hotel uma vez que o Palácio do Planalto está vistoriado e aprovado.

A primeira-dama Janja, também vai despachar do Planalto. Ela vai ter uma sala ao lado da do marido, voltada para a Praça dos Três Poderes. A sala de Lula fica direcionada para a área interna, onde há um gramado.

Integrantes do novo governo chegaram a relatar que também será promovido um revogaço de cargos. E que todos os cargos altos de livre nomeação, os chamados DAS 5 e 6, cujos salários são maiores, serão suspensos.