Com livro de Hitler, homem é preso após ofensas racistas e homofóbicas em biblioteca de SP

Um homem foi detido pela Polícia Militar em São Paulo após proferir ofensas racistas em uma biblioteca da cidade na última terça-feira (2). O suspeito foi identificado como Wiho da Silva Brito, de 39 anos.

Um vídeo feito por uma testemunha na Biblioteca Mário de Andrade mostra a sequência de falas racistas do criminoso, que repetidamente, alega "não gostar de negros" após ser cobrado por uma conduta de apologia nazista.

"Vai se f... Sou um cara correto, não uso drogas, não roubo, aí você vem me falar de apologia nazista? Não sou obrigado a gostar do que é errado. Não gosto de negros, a cultura deles é uma b... Se prestasse, não era discriminado pela sociedade. Você vai na Praça de Sé e vê um monte de negros vendendo celular roubado", disse.

Criticado por uma mulher, que o acusa de racismo, o rapaz se afasta do balcão e retorna para a cadeira onde estava sentado, lendo. No local, é possível ver o livro "Minha Luta", escrito por Adolf Hitler.

"Quer dizer que eu sou racista? Eu estou aqui estudando, tentando sair fora desse país, que é um lixo. E vocês vêm com esse papo de macaco, de favela. Você acha que eu estou errado? Eu não gosto de negro, não. Quem gosta de macaco é zoológico", afirmou.

Abordado pelo responsável pela filmagem do vídeo, que, novamente, o chama de "racista", o criminoso admite: "Com certeza, não gosto de negro. Se prestassem, não estavam todos na cadeia".

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos