Com mais 7 milhões de doses, Saúde oferecerá vacinas para 100% da população acima de 60 anos, diz coordenadora

DANIELLE BRANT
·3 minuto de leitura

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - A coordenadora do PNI (Programa Nacional de Imunizações), Francieli Fantinato, anunciou nesta sexta-feira (30) a distribuição de cerca de 7 milhões de doses de vacinas a partir de sábado (1º), quantidade que será suficiente para imunizar 100% da população acima de 60 anos, segundo ela.

Fantinato participou na manhã desta sexta de audiência pública da Comissão de Educação da Câmara dos Deputados. O objetivo do encontro, do qual participaram o prefeito de Fortaleza, Sarto Nogueira (PDT), e representantes de entidades de educação, era debater a vacinação de profissionais da educação e estudantes da rede pública

A coordenadora do PNI informou que, com os 5,2 milhões de doses de vacinas distribuídas nesta semana, o total enviado pelo Ministério da Saúde somava 62,6 milhões de doses. "Nós vamos distribuir a partir de amanhã [sábado] mais um quantitativo de doses que vai chegar a 69,5 milhões de doses distribuídas”, disse.

“Então, a gente avança para o público de 60 a 64 anos, que era 70% [do público atingido] com a pauta [rodada] anterior, para 100%”, acrescentou. “Os municípios vão operacionalizar a vacinação para vacinar esse público, mas o Ministério da Saúde já distribuiu 100% das doses para população acima de 60 anos de idade.”

Segundo ela, com esse envio adicional será possível vacinar 13% das pessoas com comorbidades, gestantes e puérperas com comorbidades e pessoas com deficiência permanente. “A gente já avança para o grupo de comorbidades, que é um grupo denso. [São] mais de 20 milhões de pessoas nesse grupo, para serem atendidas.”

Com as 5,2 milhões de doses distribuídas ao longo da semana e o quantitativo adicional encaminhado a partir deste sábado, o total enviado pelo ministério nesta semana chegará a 12,1 milhões de doses. “Houve um aumento do volume de doses no decorrer da campanha.”

Em abril, de acordo com Fantinato, foram distribuídos 26,667 milhões de doses. Em maio, o volume será de 34 milhões, uma queda em relação aos 46,9 milhões previstos pelo cronograma anterior, de março. Em junho, serão 52 milhões.

A coordenadora foi questionada sobre o envio de segunda dose da Coronavac a prefeituras e ressaltou a importância de completar o esquema vacinal.

“Nós não temos estudo de eficácia da Coronavac com dose 1. Nós só temos estudos com as duas doses e é uma eficácia de 50,4%. Então, deve-se fazer um esforço dos municípios para que se complete a vacinação tanto para a vacina Coronavac quanto para a vacina Astrazeneca”, disse.

Ela disse que, até a sétima rodada de distribuição, foram encaminhadas as duas doses para cada vacinado, e que o Ministério da Saúde já fez a entrega de quase todas as segundas doses que deveria enviar. “O que tem de dose 2 a enviar é para 416.507 pessoas, e essas doses só vencem em 12 de maio e 20 de maio”, ressaltou.

“O que aconteceu é que alguns estados, por iniciativas próprias, talvez possam ter utilizado sem a orientação devida do informe técnico, avançaram nos grupos de vacinação e estão com essa dificuldade”, disse. “O Ministério da Saúde cumpriu até o momento com o acordado de encaminhar em tempo oportuno as doses 2.”

Em resposta, o prefeito de Fortaleza divergiu da coordenadora. “A autorização, e isso está divulgado amplamente nas mídias nacionais, a autorização que o governo federal deu para utilização de D2, da segunda dose, para D1, ocorreu no dia 21 de março”, disse.

“Todas as vacinas que nós utilizamos de D2 para D1 foram autorizadas e responsabilizadas pelo ministério. Portanto, não há nenhuma prefeitura que eu conheço, pelo menos a nossa, que utilizou indevidamente. As doses utilizadas foram autorizadas pelo Ministério da Saúde, havendo a responsabilização de que nos ressarciriam essas doses.”