Com Marcão, Fluminense é superior, mas acaba punido com empate no fim diante do líder Atlético-MG

·2 minuto de leitura

As trocas de treinadores no futebol brasileiro tem como objetivo, de modo geral, mudar o ânimo das equipes diante de um calendário onde há pouco tempo para treinos. Neste ponto, a troca de Roger Machado por Marcão no Fluminense cumpriu com o seu papel. Tanto que, diante do líder Atlético-MG, a sensação é de que o empate em 1 a 1 ontem, em São Januário, tem gosto amargo. Faltou ter um ponto mais de pontaria para ficar com os três pontos.

Marcão não mudou o Fluminense do dia para a noite, mas tem seus méritos na boa atuação da equipe. Nitidamente não é mais aquela equipe que vinha de quatro derrotas seguidas no Brasileiro. Não deu show, mas se postou bem taticamente para conseguir segurar o líder por quase 90 minutos.

Fred é um dos que agradeceu por essa mudança. Após ver Luccas Claro sofrer pênalti cometido por Hulk — que acertou uma cotovelada no zagueiro —, o camisa 9 converteu e colocou o tricolor em vantagem. De quebra, se tornou o segundo maior artilheiro da história do Campeonato Brasileiro.

O camisa 9 já era o líder da era dos pontos corridos e agora está na segunda colocação na contagem geral com 154 gols, ao lado de Romário. O líder é Roberto Dinamite, com 190.

— Precisávamos de uma retomada no Brasileirão. Vínhamos de três competições, ficamos sobrecarregados. Temos que focar um pouco no Brasileiro para encostar na partida de cima — declarou o camisa 9.

A estratégia de Marcão, que avançou a trinca de volantes e contou com a intensidade de Lucca para fechar as linhas deu certo. Tão certo que o Fluminense esteve perto de marcar o segundo gol e liquidar a partida. Faltou pontaria e acertar nas tomadas de decisões. Em especial, as do atacante Gabriel Teixeira, que teve ao menos três chances em superioridade numérica e errou na hora de definir todas.

— Sabíamos da dificuldade que teríamos diante do líder. Tínhamos que definir bem o jogo — lamentou o volante Yago Felipe.

O castigo veio no final da segunda etapa. Nathan lançou Eduardo Sasha na área. O atacante chutou, a bola bate na trave e entrou. Tudo igual em São Januário.

— Infelizmente não conseguimos a 10ª vitória seguida, mas é importante pontuar Sabemos da qualidade do Fluminense, esse ponto vai fazer diferença lá na frente — declarou Eduardo Sasha.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos