Com medo da Justiça, Bolsonaro estuda permanecer mais tempo nos EUA

Ex-presidente avalia uma série de pontos para tomar uma decisão

Bolsonaro estuda permanecer nos EUA em vez de voltar ao Brasil (Andressa Anholete/Getty Images)
Bolsonaro estuda permanecer nos EUA em vez de voltar ao Brasil

(Andressa Anholete/Getty Images)

O ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) já estuda a possibilidade de permanecer mais tempo nos Estados Unidos. A ideia surge em meio ao receio do cerco legal que se forma após os atos terroristas de 8 de janeiro, que pode respingar no político devido a antigos incentivos a atitudes golpistas.

Simpáticos ao ex-presidente, um grupo de empresários de São Paulo montou um plano inicial para custear a estadia de Bolsonaro nos EUA – onde ele se encontra desde 30 de dezembro: a realização de palestras sobre política, conforme apurado pela Folha de S. Paulo.

Até o momento, foram acertados com empresários norte-americanos seis eventos, cada um pagando US$ 10 mil (quase R$ 51 mil na conversão de hoje). Bolsonaro já se comprometeu com pelo menos um, disse uma fonte ao jornal.

Ainda assim, o ex-mandatário avalia uma série de pontos sobre se deve ou não permanecer no exterior.

Problemas envolvidos

O principal obstáculo para continuar nos EUA é financeiro. Atualmente:

  • Bolsonaro está em uma casa pertencente ao lutador de MMA José Aldo em Kissimmee, na Flórida;

  • Uma diária no imóvel custa o equivalente a R$ 2.600;

  • Apesar do decreto que regulou a saída de Bolsonaro do país incluir 5 funcionários aos quais ele tem direito como ex-presidente, é possível que haja mais pessoas envolvidas;

  • Um indício disso é que uma segunda casa foi ocupada no mesmo condomínio;

  • Assim, custos de uma estadia mais longa podem se tornar proibitivos.

Soma-se a isso o fato de que Bolsonaro viajou como chefe de Estado e seu visto, nessa condição, expira no final de janeiro. O que pode ser feito é o pedido de um visto de negócios ou trabalho temporário e turismo, que permite a permanência por até 90 dias.

Entretanto, há deputados norte-americanos pedindo a revogação da licença de Bolsonaro, e sua permanência pode gerar um problema para o governo de Joe Biden.

Motivos para retornar ao Brasil

Bolsonaro tem motivo para temer a Justiça?

O ex-presidente enfrenta, só no TSE (Tribunal Superior Eleitoral), 16 ações. Ele e seu companheiro de chapa, Walter Braga Netto (PL), correm o risco de se tornarem inelegíveis.

O político também é investigado por supostamente fomentar um golpe de Estado, acusação que se fortaleceu depois que um documento sugerindo decretação de estado de defesa no TSE foi encontrado com Anderson Torres, ex-ministro da Justiça. Entretanto, essa comprovação não é tão fácil, na avaliação de ministros do Supremo.

Isso não impede que aliados de Bolsonaro temam que a repercussão dos atos de 8 de janeiro aumente o risco da prisão do ex-presidente.