Com menos trabalho em meio à pandemia, Papais Noéis recebem doação de cesta básica

O Globo
·2 minuto de leitura
Divulgação

RIO - Uma empresa de distribuição de alimentos do Rio resolveu presentear os bons velhinhos neste fim de ano. Na manhã desta quarta-feira, na quadra da escola de samba Estácio de Sá, a Comercial Milano distribuiu cestas natalinas aos papais noéis que viram diminuir em até 80% a oferta de serviço em shopping centers e centros comerciais neste Natal.

— Nós costumávamos ter pelo menos 40 postos de trabalho para papais noéis a cada Natal. Mas, com a doença, administradores de shoppings e outros centros de compras deixaram de nos ligar. Hoje tenho apenas sete pedidos. Há casos aqui, e são muitos, de profissionais sem ter o que comer — conta Limachem Cherem, criador da Escola de Papais Noéis do Brasil, no Rio. — Essa ajuda, portanto, é muito bem-vinda.

O presente oferecido tem itens da cesta básica, como arroz, feijão, açúcar, e mais panetone e uma ave natalina. Ao todo, foi doada meia tonelada de alimentos. Para Rose Frade, diretora-executiva da companhia, a ideia veio após uma reportagem retratar a dificuldade de papais noéis arrumarem emprego neste Natal.

— A figura do bom velhinho, alegre, de barba branca, que traja uma roupa vermelha, que nos instiga a ter sentimentos de bondade e gratidão, é muito forte no Natal. Eu cresci admirando essa simbologia. Filhos e netos da mesma forma. E com essa pandemia, eles ficaram sem o ganha-pão no período em que mais tinham serviço. Foi quando decidimos aqui na empresa fazer essa doação e presenteá-los nessa época — conta ela.

Tales Ferreira, de 78 anos, Papai Noel há 32, disse que optou por fazer videochamadas para conseguir algum rendimento neste Natal. Ele, que todo ano batia ponto no Rio Design Barra e no NorteShopping, diz que o movimento caiu muito devido à Covid-19. Já Gino Esposito, que há dez natais alegrava as crianças no BarraShopping, é outro que também foi atingido em cheio pela pandemia. Ele conta que em anos anteriores costumava vestir seu macacão e gorro vermelhos ainda em meados de novembro. Agora, só restaram a saudade e a geladeira vazia.

— Dá uma tristeza enorme. Quando o amigo Limachem nos avisou dessa doação de cesta natalina, foi um alívio. Vamos torcer para essa vacina chegar logo — desabafa Tales.