Com Michelle Bolsonaro de palhaça, Mario Frias lança apoio a circo e ataca artistas

·2 min de leitura
***ARQUIVO***BRASÍLIA, DF, 07.09.2020 - O secretário de Cultura, Mário Frias. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
***ARQUIVO***BRASÍLIA, DF, 07.09.2020 - O secretário de Cultura, Mário Frias. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

CAMPINAS, SP (FOLHAPRESS) - Na última quarta-feira (20), o governo federal promoveu um evento em Brasília para lançar uma campanha chamada "Respeitável Circo!", destinada a artistas e produtores do ramo circense. Entre os presentes na solenidade, estavam a primeira-dama Michelle Bolsonaro, caracterizada como palhaça e identificada em uma plaqueta como "doutora Florinda", e o secretário especial de Cultura Mario Frias.

A respeito da campanha, Frias foi ao Twitter ressaltar a importância das atividades circenses que, diz ele, são "uma área por muito tempo desvalorizada, por não servir ao glamour que movimentava a elite artística que monopolizava as verbas públicas da Cultura". As artes circenses, diga-se, são contempladas na política de incentivo à cultura desde 1991 sob a categoria das artes cênicas.

Dados da Fundação Nacional das Artes, a Funarte, apontam a existência de quase 700 circos em atividade no país em julho de 2020 --a maior parte deles formada grupos familiares, que raramente possuem as ferramentas necessárias para formatar projetos e se inscrever em editais.

A cerimônia não apresentou detalhes específicos da iniciativa organizada por diversos ministérios, mas houve a distribuição de uma cartilha com sugestões para que gestores municipais resolvam problemas como a falta de terreno adequado para montagem de lonas e dificuldades no acesso à educação e à saúde com a inclusão de populações em situação de rua, circense e povos ciganos nômades no programa Conecte SUS.

"Sugerimos o acolhimento dos circenses, por meio de agentes públicos conhecedores das peculiaridades dos povos itinerantes. Nos municípios menores, recomendamos a existência de um ponto focal (alguém capacitado para entender as diferentes necessidades dos circenses e dialogar com as áreas gestoras)", aponta a cartilha.

Além disso, o evento também anunciou o selo Município Amigo do Circo, uma premiação nacional para cidades que apoiam o setor e que deve ocorrer no primeiro semestre de 2022. À parte isso, não foram detalhadas outras particularidades e ações do programa, tampouco destrinchado no Diário Oficial da União.

"Sabemos o quanto o mundo precisa de sorrisos. E essa é a missão do circo: impactar vidas por meio da arte", sintetizou a primeira-dama em discurso no evento. Também estiveram presentes outras autoridades como o presidente da Funarte, Tamoio Marcondes, a ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, além do ministro do Turismo, Gilson Machado Neto.

O movimento ocorre um mês após a Aliança Nacional de Entidades de Circos e de Artistas Circenses do Brasil, composta por associações e sindicatos, promover um encontro virtual com Marcondes, da Funarte, e exigir, entre outras reivindicações, cestas básicas para artistas que passam fome devido à falta de trabalho.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos