Com morte de Elizabeth 2ª, sultão de Brunei se torna monarca mais duradouro

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS0 - Morta aos 96 anos no Palácio de Balmoral nesta quinta-feira (8), a rainha Elizabeth 2ª entrou para a história não apenas como a mais duradoura soberana do Reino Unido, mas como a chefe da monarquia que por mais tempo ocupou o cargo no mundo.

Os britânicos não estavam sozinhos na pequena lista das monarquias com chefes sentados no trono há mais de meio século. Ao deixar o páreo, Elizabeth cedeu a liderança aos raros monarcas remanescentes.

É o caso do sultão Hassanal Bolkiah, soberano do Brunei que completa 55 anos no cargo em outubro.

Na Europa, outros dois sobem ao pódio para acompanhá-lo: Margarida 2ª é rainha da Dinamarca há quase 51 anos, e Carlos Gustavo comemora seus 49 anos de reinado na Suécia na próxima semana.

A diferença para as seguintes posições é de mais de uma década. No Essuatíni, Mswati 3° está no poder há 36 anos; no Liechtenstein, João Adão 2° reina há 32; e na Noruega, Haroldo 5° tem a coroa há 31 anos.

Quem é o mais duradouro monarca de toda a história? Coroada desde 1953, Elizabeth completou 63 anos e cinco meses em julho de 2015, tornando-se a monarca britânica mais duradoura ao superar a rainha Vitória (1837-1901), cuja coroa, no entanto, tinha o peso de um imenso império colonial, hoje não mais existente.

A disputa com monarcas ao longo da história, porém, é mais acirrada. A rainha britânica disputa o pódio com o tailandês Bhumibol Adulyadej (1927-2016), com o francês Luis 14 (1638-1715), e com João 2°(1840-1929), do Liechenstein.

Adulyadej liderava a disputa com 70 anos e 126 dias de monarquia na Tailândia, até ter sua marca ultrapassada por Elizabeth, que comemorou o Jubileu de Platina em fevereiro deste ano e permaneceu por 70 anos e 214 dias no poder, até falecer nesta quinta.

Logo atrás do tailandês, João 2°, chamado de "o Bom", assumiu aos 18 anos e foi soberano do Liechtenstein -um país de 25 quilômetros de extensão entre a Áustria e a Suíça- ao longo 70 anos e 91 dias. Também ficou atrás da persistente coroa da rainha Elizabeth.

A depender do cálculo, por outro lado, Luis 14 tem o reinado mais longo da história, com 72 anos e 110 dias como rei, de 1643 a 1715. Ocorre que ele assumiu o trono quando tinha quatro anos, mas foi exercer seu cargo de soberano somente aos 23 anos de idade.

Contando os dias que reinou efetivamente, o francês chefiou a monarquia durante 63 anos e está distante da britânica --com esse tempo de governo, Luís reinou menos que Francisco José 1°, imperador da Áustria e rei da Hungria no século 19, e que Pacal 2°, líder de um Estado da civilização maia sediado em Palenque, no México, ao longo do século 7.