Com mudanças, Botafogo reencontra bom futebol e volta a vencer no Brasileiro no embalo de Jeffinho

Após três derrotas seguidas no Brasileiro, o Botafogo se reencontrou não só como equipe, mas na soma de seus talentos individuais. Com mais algumas peças à disposição, o técnico Luís Castro mexeu no atacado na formação da equipe, e obteve uma vitória convincente e com autoridade sobre o Athletico-PR, que briga pelas primeiras posições do Brasileiro.

Erison, que foi uma das novidades na equipe em relação ao último jogo, fez o primeiro gol da vitória no Nilton Santos, e Jeffinho, a sensação da partida, completou: um convincente 2 a 0. O resultado deixa a equipe em víeis de subida na tabela, na décima primeira posição, com 24 pontos.

Lucas Fernandes foi um dos cérebros do meio-campo do Botafogo, distribuindo o jogo para os atacantes a partir do lado esquerdo, com apoio do agora titular Carlos Eduardo no lado oposto. Apesar da qualidade do adversário, o setor ofensivo teve boa dinâmica, com Jeffinho livre para dar profundidade dos dois lados, Erison como referência, e Piazon mais à direita, criando e atacando em projeção por fora e por dentro.

Foi a trama entre alguns deles que resultou no primeiro gol. Após receber passe de costas de Eduardo, Jeffinho arrancou pela esquerda, cruzou, a zaga rebateu, e Erison, no rebote, acertou o ângulo. O gol veio após 457 minutos sem o time balançar as redes. Normalmente, o Botafogo concentrou o início de suas jogadas do lado direito, de onde fazia inversão para terminar a jogada na esquerda. Assim, Jeffinho teve participação intensa, da mesma forma que o lateral Marçal, outra novidade.

A competência ofensiva do Botafogo só foi possível através de uma organização desde sua defesa. A equipe se manteve compacta e com intensidade para acompanhar o ritmo de troca de passes do Athletico-PR, comandado por Fernandinho. O meio-campo encontrava espaços entre as linhas para acionar Terans e os demais homens de frente, e Gatito Fernandez levou alguns sustos. Entretanto, nenhuma finalização de perigo real.

Ao manter alta intensidade para recuperar a posse e mantê-la em maioria, o Botafogo impunha a qualidade de seus atletas e promovia a construção do jogo em troca de passes precisos. No segundo tempo, permaneceu superior, conteve os ímpetos do Athletico-PR, e ampliou o placar. Em nova escapada pela esquerda, Jeffinho costurou para dentro, passou por dois marcadores, e tocou no contrapé do goleiro.

Com o placar consolidado, Luís Castro voltou com peças que haviam perdido espaço, como Patrick de Paula e Saravia, além de promover a reestreia de Luis Henrique, dando sinais claros de que o elenco do Botafogo tem qualidade quando todas as opções estiverem disponíveis. O Athletico-PR incomodou no fim, mas Gatito Fernandez teve tempo para lembrar que um bom time começa com um bom goleiro.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos