Com novo pico da Covid-19, Ceará decreta toque de recolher entre 22h e 5h

JOÃO PEDRO PITOMBO
·2 minuto de leitura

SALVADOR, BA (FOLHAPRESS) - O governador do Ceará, Camilo Santana (PT), determinou na noite de quarta-feira (17) o endurecimento das medidas restritivas para conter a disseminação do coronavírus no estado. A partir desta quinta-feira (18), está decretado toque de recolher entre as 22h e as 5h em todos os municípios cearenses, com exceção de atividades essenciais. Os espaços públicos, como parques, praias e calçadões, terão circulação restrita a partir das 17h. Também houve restrição no horário de funcionamento do comércio não essencial. Entre segunda e sexta-feira, os estabelecimentos devem fechar até as 20h. No sábado e domingo, restaurantes funcionam até as 15h, e o comércio, inclusive os shoppings, até as 17h. As aulas presenciais em escolas e universidades públicas e privadas estão suspensas a partir da próxima sexta-feira (19). Os servidores trabalharão de forma remota, com exceção daqueles que atuam em atividades essenciais. Também foi feita recomendação para que o setor privado atue dentro das mesmas normas, mas não há obrigatoriedade. As medidas valem até o dia 28 de fevereiro e podem ser prorrogadas em caso de necessidade. O governador Camilo Santana afirmou que as medidas restritivas são necessárias para conter a curva de contaminação do coronavírus, que está mais uma vez ascendente no estado. Em apenas um mês, triplicou a demanda de pacientes com Covid-19 por leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva). Em 18 de janeiro deste ano, o Ceará tinha 226 pacientes com covid-19 em leitos de terapia intensiva, número que saltou para 652 em 17 de fevereiro. No mesmo período, o número de pacientes infectados com o coronavírus e que ocupam leitos de enfermaria cresceu de 470 em 18 de janeiro para 1.026 em 17 de fevereiro. "Com esse crescimento exponencial [de hospitalizações por Covid-19] na capital e no interior do estado, fomos orientados por profissionais, pelos números e a partir da ciência a chegar a essas medidas mais restritivas", afirmou Camilo Santana. O número de atendimentos de pacientes com Covid-19 nas 12 Unidades de Pronto-Atendimento em Fortaleza superou nível de abril de 2020, quando Fortaleza enfrentou o seu primeiro pico da pandemia. Foram 12,5 mil pacientes atendidos em janeiro de 2021 contra 12,3 mil em março de 2020. Em setembro de 2020, mês em que a curva de contaminação atingiu seu nível mais baixo, foram apenas 3.700 pacientes com Covid-19 nas UPAs. Ao mesmo tempo em que vive um novo pico da pandemia, o Ceará enfrenta dificuldades em manter o seu plano de imunização por falta de vacinas. Em Fortaleza, a expectativa é que as 119,2 mil vacinas destinadas à primeira dose acabem ainda nesta semana. A prefeitura informou que aguarda o envio de novos lotes de vacinas pelo Ministério da Saúde para dar continuidade à vacinação.