Com novo recorde de mortes, governo de SP prorroga fase emergencial contra Covid-19

Ana Letícia Leão, Dimitrius Dantas e Giuliana de Toledo
·1 minuto de leitura

SÃO PAULO — Com um novo recorde de óbitos em 24 horas e um número de internações que permanece em ascensão, o governo de São Paulo anunciou que irá estender as restrições da fase emergencial por mais 15 dias. Inicialmente, as regras iriam valer até o próximo dia 30, mas integrantes do Centro de Contingência da Covid-19 acreditam que é necessário mais tempo para que as medidas resultem em uma queda de hospitalizações.

Segundo dados da Secretaria da Saúde, o estado bateu um novo recorde de mortes registradas em apenas um dia, com 1.123. Na última terça-feira, o estado já tinha superado a marca de mais de mil mortes notificadas em 24 horas, com 1.021.

— Em virtude dos números da pandemia, da insistência do crescimento da pandemia apesar das medidas, o governo de São Paulo prorroga a fase emergencial — afirmou o vice-governador Rodrigo Garcia.

Durante a semana, entretanto, o Ministério da Saúde alterou as regras para notificação de mortes, passando a exigir mais dados das vítimas, como CPF, número do cartão SUS, nacionalidade e se o paciente tomou ou não vacina contra a Covid-19.

As novas regras causaram uma queda artificial no número de mortes nos dias seguintes e um possível represamento. O número de mortes notificadas dá conta de quantos óbitos foram registradas no sistema naquele dia e não necessariamente o número de pessoas que morreram em 24 horas.