Com o lema celebrar a vida, foliões se fantasiam para curtir o carnaval de forma virtual em casa

Pâmela Dias*
·4 minuto de leitura

RIO — Com a pandemia, a tradição de pular carnaval foi adaptada para a sala de casa, mas adultos e crianças garantem muita diversão. O que dita a animação para o carnaval deste ano é a gratidão pela vida e superação de um 2020 difícil. Além disso, para muitas pessoas, o pós-carnaval é o marco que simboliza que o ano começou de verdade e nada melhor que festejar para iniciar 2021 com esperança de dias melhores. Desta vez, apesar da folia ser no sofá de casa, será comemorada pelos foliões no estilo tradicional: com fantasias e muito glitter.

O carnaval para a advogada Ana Cláudia Mesquita, moradora do Leblon, na Zona Sul do Rio, começou mesmo antes do feriado. Desde o início da semana passada, a amante da folia já foi para os treinos de ginástica vestida de Mulher Maravilha. Para não repetir as fantasias do ano passado, Ana também garantiu a compra de tecidos e acessórios no Saara, que se transformaram em novos looks de sargento para ela e Sheik para o marido.

Segundo Ana, apesar de o amor pela folia já estar no sangue, o principal motivo da comemoração é a gratidão pela saúde de toda a família.

— Eu não estou comemorando só o carnaval, mas a vida. O intuito é agradecer por todos da minha família estarem bem de saúde. Mais do que nunca, temos que ser gratos pela vida e positivos. Então vamos fazer uma festa de carnaval com muita alegria — disse.

E se engana quem pensa que os enfeites seriam apenas para o casal. Desde sexta, Ana Cláudia enfeita a casa com muito pompom e luzes.

Sem aglomeração

Apesar de ser um festejo em casa, a recomendação segue sendo evitar aglomerações. A professora Juliana Gama e a arquiteta Priscila Caprice seguem a determinação à risca: cada uma em sua casa curtindo apenas na companhia do marido e namorado.

Para Juliana, inventar atividades diferentes com o companheiro está acontecendo com frequência na pandemia. E o carnaval é uma oportunidade de se divertirem juntos e ainda revigorar as energias para o ano que se começa.

— Tudo tem sido só nós dois desde o início do isolamento por medida de segurança e até mesmo por isso curtimos inventar moda — explicou.

Este ano, a professora vai reutilizar as fantasias de outros carnavais e apostar no clássico: sereia, pirata, bailarina, fada, ou só um monte de penduricalhos e glitter no rosto.

Já a amante e frequentadora assídua dos blocos de rua e da sapucaí, Priscila, escolheu as fantasias da heroína Alerquina e cigana para ela e de pirata para o namorado. Os dois começam a folia na sexta-feira e encerraram no domingo de carnaval. O momento entre o casal ainda ainda contou com comes e bebes, saboreados enquanto curtiam atrações musicais pelo computador.

— Eu posso estar em casa, em bloco, na Sapucaí, o importante é estar feliz comigo mesmo e bem. Na festa junina eu e minha mãe celebramos em casa, fizemos almoço e nos vestimos a caráter. E desta vez, com o meu namorado, estamos curtindo o carnaval a dois para celebrar a vida — apontou.

Blocos de rua em casa

Para incentivar as pessoas a ficarem em casa, artistas e blocos de rua realizam lives com muita música e marchas de carnaval. Os amantes dos famosos “bloquinhos” ainda podem aproveitar eventos mais reservados, mas que prometem muita diversão.

A Orquestra Voadora fará a fanfarra carioca, nesta terça-feira, às 16h20, no canal do bloco no YouTube. A apresentação foi batizada de "Voando em casa" para marcar este período carnavalesco na pandemia.

Carnaval infantil

A pedagoga Danila Brito garante: o carnaval também é época de colocar a criançada para pular, brincar e se divertir. Este ano, para o filho Davi, de apenas 3 anos, não perder a oportunidade de vivenciar a magia da folia, ela se fantasia com ele em casa para curtir alguns blocos de carnaval infantil.

— Meu filho sentiu muita falta de socializar e brincar com outras crianças ao longo do ano. E por isso a gente tem tentado comemorar datas festivas, como festa junina e carnaval. Então eu vou colocar meus adereços para aproveitar com ele e tirar fotos para guardar de recordação — afirmou.

Por gostar muito de criar brincadeiras e até mesmo fantasias, a própria Danila confeccionou roupas de pirata, dinossauro e mágico para o filho. Segundo ela, construir esses momentos com o Davi é importante tanto para a educação quanto para a boa relação entre ela e o pequeno.

Estagiária sob a supervisão de Vera Araújo*