Com pênalti no último minuto, Botafogo perde para o Bahia e volta ao Z4

O Globo
·3 minuto de leitura
Vitor Silva/Botafogo/Divulgação
Vitor Silva/Botafogo/Divulgação

Novo técnico do Botafogo, o argentino Ramon Díaz pôde observar que terá muito trabalho pela frente. Em jogo fraco na Arena Fonte Nova, o Alvinegro perdeu por 1 a 0 para o Bahia na noite deste domingo. Rodriguinho marcou o gol da vitória, em pênalti polêmico marcado no último minuto dos acréscimos, com auxílio do VAR.

A derrota recoloca o Botafogo na zona de rebaixamento, em 17º. Com 20 pontos ganhos até aqui, a equipe acabou ultrapassada por Coritiba e Bragantino, que empataram suas partidas contra Internacional e Santos, respectivamente.

VAR salva Saulo

A primeira etapa começou sonolenta. As equipes até deram espaço uma à outra, mas faltou inspiração na parte ofensiva. Enquanto o Bahia apostava em bolas em profundidade pela direita com Nino Paraíba e Élber, o Botafogo tentava responder com a dupla Kevin e Kelvin, também pela direita de ataque, mas ambas as opções se mostraram pouco efetivas.

Já desfalcado de Honda e Pedro Raul, poupados da viagem por conta do desgaste físico, o técnico interino Flávio Tenius teve mais um problema já no início da partida: Guilherme Santos, lateral que vinha atuando no ataque, saiu lesionado.

A melhor oportunidade foi quando Matheus Babi e Bruno Nazário, jogadores mais perigosos do ataque botafoguense, tabelaram em jogada rápida: Babi recebeu de Nazário na direita e devolveu para o camisa 10 chutar de forma perigosa, à esquerda do goleiro Douglas.

Já na metade final, os donos da casa chegaram com perigo em duas oportunidades: um chute de Élber e uma cabeçada de Lucas Fonseca, ambas evitadas por intervenções do goleiro Saulo. Terceira opção, o jovem prata da casa ganhou a oportunidade após o corte de Diego Cavalieri da partida, diagnosticado com Covid-19.

A noite de Saulo por pouco não virou um desastre. Já no fim da primeira etapa, Fessin disputou bola no alto com Benevenuto e a bola sobrou despretensiosamente para o goleiro, que acabou se atrapalhando e deixando-a entrar. A salvação veio pelo VAR, que identificou falta na origem da jogada, anulando o gol.

Bahia domina e tem pênalti no fim

A segunda etapa foi de pressão do Tricolor Baiano. A equipe de Mano Menezes adiantou a marcação, passou a pisar mais na área botafoguense e criou jogadas de perigo em especial com Gilberto e Rodriguinho. Enquanto a defesa alvinegra se segurava da forma que podia, o setor de criação, nitidamente desgastado fisicamente, pouco aproveitava os contra-ataques.

O técnico interino Flávio Tenius até tentou mudar o panorama com sangue novo, com as entradas de Luiz Otávio, Éber Bessa e Kalou. A melhor chance do Botafogo saiu dos pés do marfinense: o atacante acionou Davi Araújo em velocidade pela esquerda, mas o camisa 27 parou no goleiro Douglas.

Quando tudo parecia se encaminhar para um empate ruim para ambas as equipes, veio o pênalti. No último minuto dos acréscimos, Gilberto chutou de longe, a bola resvalou na coxa e, em seguida, no braço de Marcelo Benevenuto. Em meio a muita reclamação dos botafoguenses, o árbitro Jefferson Ferreira de Moraes foi à tela do VAR antes de confirmar a penalidade. Rodriguinho cobrou bem e definiu o resultado da partida.