Com público mais longe das ruas, réveillon do Rio gera 50% menos de resíduos este ano

·2 min de leitura

Numa manhã chuvosa como a deste sábado, as areias da Praia de Copacabana ficaram vazias. Poucas pessoas tiveram coragem de enfrentar o céu encoberto e aproveitar o primeiro amanhecer do ano na orla. Mas quem marcou presença foram os funcionários da Comlurb, companhia responsável pela limpeza da cidade que concluiu, às 9h, a mega operação em todos os pontos de festejo do réveillon. Só em Copacabana, foram coletadas 167 toneladas de resíduos. Somando todos os dez pontos de queima de fogos e celebração oficial da prefeitura do Rio, a Comlurb contabilizou 320 toneladas recolhidas — cerca de 50% menor do que o registrado na média histórica de outros anos.

— Eu saí de casa, em Campo Grande, às 3h40 e estou trabalhando desde às 7h. Comemorei o ano novo com a minha família e nem dormi. Este ano a praia não está tão suja quanto nos anos anteriores, acho que a chuva afastou o público e nos ajudou — previa a gari Rita Aparecida Fonseca, que atuava na limpeza das areias de Copacabana pela manhã.

A operação contou com a Rita e outros 4.371 garis, distribuídos nos dez pontos de queima de fogos: Copacabana, Flamengo, Barra da Tijuca, Recreio, Praia de Sepetiba, Bangu, Igreja da Penha, Parque Madureira, Ilha do Governador e Piscinão de Ramos, além de outros trechos da orla (Ipanema, Leblon, São Conrado e Arpoador). O presidente da Comlurb, Flávio Lopes, supervisionou o planejamento e esteve em Copacabana.

— O trabalho de limpeza fluiu com muita tranquilidade. Utilizamos a estratégia de colocar uma grande quantidade de caixas metálicas de 1200 L para que os frequentadores fizessem o descarte correto dos resíduos. Isso agilizou bastante o serviço porque tinha pouco lixo no chão. E a colocação de novos equipamentos, como as dez pás mecânicas, também foi fundamental para a rápida conclusão do trabalho.

Na sexta-feira, uma equipe realizou a pré-limpeza em Copacabana com ações em toda a Avenida Atlântica, incluindo o calçadão, a faixa de areia, as pistas e as vias de acesso, com a remoção de 15,5 toneladas.

De olho na sustentabilidade, 120 garis atuaram exclusivamente na coleta seletiva em Copacabana, e foram colocadas quatro tendas para recebimento de materiais potencialmente recicláveis, gerando uma quantidade de 2,3 toneladas. Outros 12 garis serviram exclusivamente nos postos médicos. Foram instalados 1.985 contêineres pela cidade.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos