Com painéis na Paulista, sindicatos iniciam atividades do 1º de Maio

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Com 17 painéis expostos no canteiro central da avenida Paulista, sindicatos deram início neste domingo (23) em São Paulo aos protestos da semana do 1° de Maio, Dia do Trabalho. Cada uma das telas instaladas traz uma foto, que faz referência a um dos objetivos definidos pela ONU (Organização das Nações Unidas) para serem implementados até 2030. As informações são da Agência Brasil.

Entre os temas tratados nas fotos estão erradicação da pobreza, igualdade de gênero, vida com saúde, educação de qualidade, combate à fome, trabalho decente e crescimento econômico. A UGT (União Geral dos Trabalhadores) é a organizadora da exposição em parceria com o Pnud (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento) Brasil, e da OIT (Organização Internacional do Trabalho).

“Em um momento tão crítico que nós estamos vivendo, com tanto desemprego, tanta flexibilização da legislação trabalhista e perdas na legislação previdenciária, é um momento muito adequado de responder com essa reflexão, e demonstrando para toda São Paulo a preocupação que temos com as questões fundamentais da cidadania do povo brasileiro", disse o presidente da UGT, Ricardo Patah.

A avenida Paulista será palco de manifestações de sindicatos no Dia do Trabalho, em 1º de maio. Um ato unificado será realizado em frente ao Masp (Museu de Arte de São Paulo) pela CUT (Central Única dos Trabalhadores), CTB (Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil) e pela Intersindical. Participarão ainda os movimentos que compõem as frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo. Já a praça Campo de Bagatelle, na zona Norte, será local dos protestos da Força Sindical.