Com pandemia, vendas de veículos novos têm primeira queda em quatro anos

Extra*
·2 minuto de leitura
Foto: Foto: Marcos Alves / Agência O Globo

As vendas de veículos novos registraram queda de 26,16% em 2020, reflexo da pandemia do novo coronavírus. Foi a primeira retração nas vendas em quatro anos e o maior tombo desde 2015, quando as vendas caíram 26,55%.

De acordo com os dados divulgados nesta terça-feira pela Fenabrave, a associação dos concessionários de veículos, no ano passado, foram emplacados 2.058.315 automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus. Em 2019, esse número foi de 2.787.618.

Apesar da queda em 2020, o setor teve um alívio no fim do ano. Dezembro teve o melhor resultado do ano passado. Foram vendidos 194.679 veículos, crescimento de 8,43%em relação a novembro (177.561 unidades).

A queda das vendas em 2020 é relfexo da pandemia, que levou ao fechamento de fábricas e lojas no primeiro semeste. Além disso, houve falta de peças e componentes, e as empresas tiveram que cumprir regras de distanciamento social nas fábricas, o que impactou a produção.

Ainda assim, a queda foi menor do que a esperada, segundo o presidente da Fenabrave, Alarico Assumpção Júnior:

“Os principais fatores que influenciaram nessa melhora (de resultado), principalmente, a partir do segundo semestre, foram a manutenção da taxa de juros em um patamar baixo e o auxílio emergencial, oferecido pelo governo federal, o que colaborou para o aquecimento do comércio e para a baixa inadimplência", disse ele em nota.

"Com isso, melhorou a oferta de crédito, favorecendo a tomada de decisão para a aquisição de veículos", complementou.

O presidente da Fenabrave também ressaltou que há falta de veículos no mercado, pois a produção não consegue acompanhar o ritmo de crescimento da demanda. Por isso, disse, a recuperação "não foi suficiente para superar os resultados do último trimestre de 2019".

A Fenabrave estima que a alta nas vendas em 2021 será de 16,6%. “Esperamos poder recuperar, aos poucos, o mercado. Mas ainda há incertezas e fatos que podem repercutir nas nossas projeções”, adverte Alarico Assumpção Júnior.

Segundo os dados da Fenabrave, o grupo de montadoras de veículos FCA, formado pelas marcas Fiat e Jeep, teve vendas de cerca de 432 mil carros e comerciais leves em 2020, liderando o mercado brasileiro.

Incluindo os números de Peugeot e Citröen, que estão em processo de fusão com a FCA para a formação da Stellantis, as vendas do grupo atingiram no ano passado quase 459 mil unidades.

Em seguida, a General Motors registrou 338,55 mil licencimentos, enquanto o grupo Volkswagen, incluindo as vendas da Audi e VW/Man, teve 338 mil emplacamentos no ano passado.

(*Com G1 e Reuters)