Com 'planeta água' e inspiração em Guilherme Arantes, Mancha Verde é campeã do carnaval de SP

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

SÃO PAULO - A escola Mancha Verde venceu o grupo especial do carnaval de São Paulo com 269,9 pontos. A segunda colocada foi a Mocidade Alegre, seguida por Império de Casa Verde e Tom Maior.

As quatro primeiras colocadas ficaram com a mesma pontuação final. O quesito alegoria foi o que desempatou a disputa e deu o título à Mancha. As escolas Colorado do Brás e Vai-Vai foram rebaixadas.

Terceira escola a desfilar na sexta-feira, a Mancha Verde entrou na avenida sob tensão. O braço de uma imagem do carro abre-alas, Mamãe Oxum, quebrou antes da entrada da escola. Integrantes conseguiram consertar a alegoria, mas o cronômetro já marcava 11 minutos quando a escola entrou na passarela. Ainda assim, a Mancha, que apresentou o enredo "Planeta Água", conseguiu terminar o desfile em uma hora e quatro minutos, dentro do tempo limite de 65 minutos.

— Só tenho que agradecer todo mundo, agradecer meu povo, diretoria. Agradecer Guilherme Arantes que liberou a música para a gente. Nós não saímos com o atraso, se eu quiser entrar na pista com 20 minutos eu entro, nós sabíamos o que estávamos fazendo, só mudamos a nossa estratégia de desfile. Ano que vem vamos falar de Lampião. Para a gente é gratificante ter tido a capacidade de reagir a hora que abriu o portão, a frieza, a nossa equipe de barracão, saber exatamente o que tinha que fazer. Entramos com o tempo necessário para resolver o nosso problema e sair com o tempo certo — disse o presidente da escola, Paulo Serdan.

Com 2,2 mil componentes, a Mancha foi a primeira escola a levantar a arquibancada, que cantou o samba-enredo e saudou a agremiação com bandeiras e fogos de artifício durante todo o sambódromo. O enredo foi baseado na música homônima do cantor e compositor Guilherme Arantes, e o objetivo foi mostrar como a água alimenta o ciclo da vida, disse o diretor de carnaval, Paolo Bianchi. A escola trouxe carros luxuosos, todos com água e alguns com telões de led projetando cachoeiras e peixes.

A rainha de bateria da Mancha, Viviane Araújo, que está grávida do primeiro filho, foi substituída por Duda Serdan, estudante de 17 anos e filha do presidente da escola. Araújo desfilou pelo Salgueiro, no Rio, quase na mesma hora que o desfile da Mancha.

Em dois dias de desfile pelo sambódromo do Anhembi, Zona Norte da capital, 14 escolas entraram na avenida. A festa foi batizada como "Carnaval da Vida", buscando resgatar a essência de carnavais passados.

Após dois anos de restrições, a apuração do carnaval de São Paulo não teve a presença de torcida. Desde o episódio em que um representante de uma escola rasgou fichas dos jurados em 2012 durante a apuração, a divulgação das notas passou a ter a presença apenas das diretorias das agremiações. Cada escola pôde levar dez representantes previamente credenciados pela Liga.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos