Com poucas doses, cidade do Rio tenta antecipar lote da CoronaVac para manter vacinação de idosos na próxima semana

Felipe Grinberg e Lucas Altino
·6 minuto de leitura

A Secretaria municipal de Saúde do Rio informou que o seu estoque de vacinas contra a Covid-19 para aplicação de primeiras doses só vai durar até este sábado (13), o que ameaça adiar a imunização dos idosos de 80 a 84 anos, marcada para a semana que vem. Mas a prefeitura ainda não suspendeu o calendário porque espera receber novas remessas a tempo de manter a programação.

Nesta sexta-feira, serão vacinados os idosos de 85 anos e, amanhã, haverá a “repescagem” para todos aqueles que têm a partir desta idade. Na segunda-feira, é a vez dos de 84 anos, depois diminui um ano por dia até a próxima sexta-feira, quando serão os de 80. O secretário de Saúde da capital, Daniel Soranz, trabalha com duas hipóteses para manter o calendário da semana que vem, que deverá atender 105 mil pessoas: antecipar doses da CoronaVac que estão armazenadas com o governo do estado para serem aplicadas daqui a 28 dias ou receber, até terça-feira, uma nova remessa de imunizantes da AstraZeneca/Oxford.

Procurada, a Secretaria estadual de Saúde afirmou que não há, até agora, nenhum novo envio de imunizantes confirmado pelo Ministério da Saúde, e o que está garantido, no momento, é a segunda metade de doses da CoronaVac reservada para a aplicação de reforço nos que já foram vacinados. As chances de antecipação desse lote são remotas, porque dependeria de mudança no Programa Nacional de Imunização (PNI), que é definido pelo governo federal.

De qualquer forma, a vacinação na capital continuará na semana que vem com a aplicação das segundas doses da CoronaVac em quem recebeu a primeira no começo da campanha — são cerca de 115 mil profissionais de saúde que atuam na linha de frente do combate à Covid-19, idosos e pessoas com deficiência que vivem em asilos ou abrigos e indígenas. O que não está garantido ainda, portanto, é o atendimento ao público que tem entre 80 e 84 anos e não foi incluído nessa fase inicial.

O secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, afirmou que há previsão de chegada, entre domingo e terça-feira, de uma nova remessa de vacinas da AstraZeneca/Oxford, mas não confirmou a quantidade prevista. Quanto à possibilidade de antecipar o uso de 50 mil doses da CoronaVac que estão armazenadas com a Secretaria estadual de Saúde, ele afirmou que já pediu permissão ao ministério para que isso seja autorizado.

— Como essa segunda dose só precisa ser aplicada daqui a 28 dias (o intervalo entre as duas aplicações da CoronaVac tem que ser de até 28 dias), estamos pedindo liberação do Ministério da Saúde para usar esse estoque agora, isso se houver garantia da entrega de uma grande remessa no dia 23, como está previsto. Aí daria tempo e garante a semana que vem — explicou Soranz, que ainda não suspendeu o calendário. — Por enquanto, está mantido, mas precisamos adiantar o uso da CoronaVac ou que cheguem novas doses da AstraZeneca/Oxford.

À Globonews, o secretário afirmou nesta sexta-feiraque talvez o estoque de vacinas dure “até segunda ou terça-feira”, apesar de a nota oficial da pasta dar prazo até amanhã. Soranz espera receber hoje uma resposta do Ministério da Saúde.

Procurado pelo EXTRA, o ministério informou que “está trabalhando em todas as frentes para garantir” vacinação ágil e que, atualmente, o país tem 454 milhões de doses garantidas, com cronograma de envios ao longo do ano. A pasta, porém, não respondeu sobre a reivindicação do Rio.

Também procurado pela reportagem, o Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ)explicou que em janeiro instaurou um procedimento administrativo para acompanhar a campanha contra a Covid-19 no estado. A 5ª Promotoria da Saúde do órgão se manifestou contrária à antecipação do lote da CoronaVac por considerar essencial a reserva das segundas doses.

O secretário estadual de Saúde, Carlos Alberto Chaves, ressaltou que não cederá a pressões de prefeituras para liberar as doses reservadas para a segunda aplicação da CoronaVac e que municípios “estão quebrando porque não seguiram o Plano Nacional de Imunização”:

— Faltou administração por parte das cidades que estão reclamando — criticou Chaves.

Nessa semana, a Secretaria estadual de Saúde distribuiu 131.110 doses da CoronaVac aos 92 municípios fluminenses. Isso significa metade (menos a taxa de 5% da reserva de segurança) do que foi recebido do Ministério da Saúde; o restante é para a aplicação da segunda dose no mês que vem. Desse total, a capital recebeu, há três dias, 50 mil doses e tem mais 50 mil armazenadas com o governo.

Inicialmente, a prefeitura divulgou calendário para vacinar todo o público acima de 80 anos de 1º a 27 de fevereiro. Alguns dias depois, porém, o cronograma foi antecipado para incluir, ainda neste mês, os idosos com 75 a 79 anos.

— Optamos por trabalhar sempre no limite da falta de vacina. Estaremos sempre caminhando de maneira acelerada de acordo com a chegada do número de doses. Mas é muito melhor vacinar rápido e acelerar do que esperar doses chegarem. — disse Soranz, que afirmou ter montado o calendário com base na previsão de novas remessas da AstraZeneca e da CoronaVac. — Se acontecer de não receber, interrompe uma semana e voltamos quando voltar a vacina.

Outras cidades da Região Metropolitana enfrentam a escassez de vacinas. A Prefeitura de Duque de Caxias afirmou que recebeu ontem 5.600 doses da CoronaVac, quantidade que deve acabar hoje. Terça e quarta-feira, o município já havia interrompido a campanha por falta de imunizantes.

Em São Gonçalo, a imunização dos idosos havia sido suspensa de segunda a quarta-feira, por falta de vacina, e a campanha seguiu apenas para profissionais de saúde. Com a nova remessa recebida na última terça-feira, o município voltou a vacinar idosos, com mais de 87 anos, ontem. Essa faixa etária seguirá sendo atendida nos postos hoje.

A Secretaria de Saúde de São Gonçalo havia informado à tarde ao EXTRA que só garantiria a vacinação por mais quatro dias, que seriam hoje e de quarta a sexta-feira da semana que vem, já que a aplicação não ocorreria durante o carnaval. À noite, o município enviou um novo cronograma de vacinação, incluindo os dias de carnaval — somente no domingo não haverá campanha — mas não informou até quando duraria o estoque. O público-alvo também foi ampliado: amanhã e segunda-feira, serão atendidos idosos com 85 anos ou mais; terça e quarta-feira, 83 anos ou mais; e quinta e sexta, 81 anos ou mais.

Na vizinha Niterói, a vacinação de idosos também foi retomada ontem, após a chegada de 5.670 doses da CoronaVac.