Com quase 200kg, criança de 10 anos luta por cirurgia bariátrica em SC: 'Pode morrer a qualquer momento'

Redação Notícias
·3 minuto de leitura
Matheus é considerado um mistério para a equipe médica porque todos os exames para as síndromes que causam obesidade deram negativos (Foto: Reprodução/Instagram)
Matheus é considerado um mistério para a equipe médica porque todos os exames para as síndromes que causam obesidade deram negativos (Foto: Reprodução/Instagram)

Matheus Fetter precisa de uma cirurgia bariátrica — a de redução de estômago — com urgência. Aos 10 anos de idade e com pouco mais de 1,30 m, a criança moradora de Chapecó, em Santa Catarina, pesa 195 kg. Os pais do menino criaram uma vaquinha online para arrecadar o valor da operação, que custa cerca de R$ 70 mil.

"Ele nunca jogou bola ou correu, não faz nada que uma criança da idade dele realiza. Ele engatinhava sentado porque de quatro não conseguia. Começou a andar com dois anos e atualmente está com os pés e audição prejudicada, além de ter apneia. Tudo por causa da obesidade. Ele pode morrer a qualquer momento. A cirurgia é urgente", disse a mãe, a dona de casa Gabriela Fetter, de 27 anos, ao UOL.

Leia também

A família contou ao jornal que começou a desconfiar que algo estaria anormal com Matheus nos primeiros 30 dias de vida do menino. Com apenas um mês, segundo eles, o peso era de 7 kg, mesmo se alimentando apenas com o leito materno.

Gabriela e o marido Jarbas Rosa, de 33 anos, têm outros dois filhos pequenos, mas nenhum deles apresenta anormalidade no peso. 

"Ele engordava 7 kg por semana. Com dois anos chegou a mais de 40 kg. A gente até acostumava com o peso e não sentia diferença. Ele nunca comeu excessivamente para chegar a esse ponto. Todos os tipos de testes de síndromes que causam obesidade já foram realizados, mas sempre com resultado negativo", explicou Gabriela.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Isso porque, Matheus é acompanhado por um médico endocrinologista do Hospital Infantil Joana Gusmão, em Florianópolis, e é considerado um mistério para a equipe porque todos os exames para as síndromes que causam obesidade deram negativos. 

"São dez anos lutando para saber o que, de fato, meu filho possui. Fomos a diversos especialistas endócrinos, psicólogos, terapeutas e nutricionista, mas ninguém consegue descobrir. Não tem mais nem exame possível para ser realizado", disse a mãe do menino.

Vaquinha para cirurgia

O jornal, Matheus relatou não ter sofrido bullying na escola, mas lamenta não conseguir brincar com os amigos do colégio, sobretudo jogar futebol, a paixão do garoto, que tem a Chapecoense como time do coração. Ele esta no quinto ano do ensino fundamental.

A família luta na Justiça para que o SUS (Sistema Único de Saúde) pague pela cirurgia de redução de estômago. O procedimento foi a alternativa recomendada pelos médicos para Matheus ter uma juventude como outra qualquer.

Os custos com a cirurgia, internação e pré e pós-operatórios, estão calculados em R$ 70 mil. As doações podem ser feitas em uma vaquinha online aberta neste link ou por meio de PIX pelo email fetter_gabi@hotmail.com.

A técnica orientada é a "sleeve", que transforma o estômago em um tubo, auxiliando no fim da produção de grelina, hormônio responsável pela fome — procedimento também é considerado o menos invasivo para a idade dele.