Com Richarlison em grande noite, Brasil abre ferrolho da Sérvia e estreia com vitória no Catar

O Brasil encerrou a primeira rodada da Copa do Mundo em grande estilo. Talvez uma das estreias mais esperadas do Mundial, o time ofensivo de Tite conseguiu passar pelo bloqueio sérvio com a artilharia pesada que trouxe ao Catar. Transformou um primeiro tempo duríssimo em "olé" nos minutos finais da vitória de 2 a 0 sobre a Sérvia no Estádio Lusail quase lotado.

Na segunda rodada, o Brasil pegará a Suíça, no dia 28, próxima segunda-feira. Será o confronto dos dois vitoriosos do Grupo G - os suíços bateram Camarões por 1 a 0 também nesta quinta-feira.

Tite apostou na formação mais ofensiva para furar a muralha sérvia, com Vinicius Júnior no lugar de Fred. Mas a marcação não ficou comprometida. Os jogadores recompunham a defesa sempre que os sérvios avançavam e Casemiro estava lá para segurar as pontas. Mas nem foi tão preciso assim - por quase 10 minutos, eles sequer passaram da linha de meio-campo. A seleção adversária tinha um objetivo bem claro de fazer um bloqueio para impedir as infiltrações e o jogo rápido brasileiro. Em muitos lances de ataque um mar gigante vermelho se formava dentro da grande área.

A estratégia sérvia deu certo no primeiro tempo. Poucas vezes a seleção conseguiu avançar pelas pontas. Vinicius Júnior até que tentou, mas parou nas pernas sérvias. A melhor chance brasileira foi na rápida tabela entre Raphinha e Paquetá. O atacante saiu na cara do gol, mas chutou em cima do goleiro Vanja Milinkovic, de 2,02m. Além de uma bola no travessão em cobrança de escanteio de Neymar, que não produziu tanto o que poderia.

Os mais de 88 mil torcedores presentes no Lusail e toda a imprensa internacional presente esperavam mais da badalada seleção brasileira com seu poderio ofensivo. Ainda assim, apesar da partida duríssima, o controle do jogo, o tempo todo, foi do Brasil. Era necessária mais velocidade na troca de passes para surpreender a defesa sérvia.

Foi como começou o segundo tempo. O Brasil conseguiu encaixar melhor o toque de bola e o jogo fluiu. Daí veio uma sequência de chances: Raphinha, Neymar e o chutaço de Alex Sandro na trave direita do goleiro. O gol era questão de tempo. E de pouco tempo. Neymar, que fez um jogo aquém do que pode, avançou com a bola para área. Enquanto pensava o que ia fazer, Vini Júnior se intrometeu e finalizou de uma vez. O goleiro deu o rebote e Richarlison abriu o placar aos 17 minutos. De quebra, ele acabou com jejum de nove jogos de um camisa 9 da seleção em Copas do Mundo.

A dobradinha se repetiu minutos depois e proporcionou o gol mais bonito da Copa até aqui. Vinicius Junior deu um passe de trivela e Richarlison acertou um lindo voleio para delírio da torcida e dos companheiros no banco de reservas. 2 a 0 no placar, um resultado justo para o jogo do Brasil.

O segundo gol acertou em cheio a Sérvia, que perdeu a intensidade na marcação. Tite aproveitou para colocar fôlego na seleção e buscar mais gols. Tirou Paquetá, Vinicius Júnior, Neymar e Richarlison, aplaudidíssimo pela torcida. Fred, Rodrygo, Antony e Gabriel Jesus entraram com vontade de mostrar serviço. Com espaço, a bola rondou a área sérvia sem parar, teve travessão de Casemiro e algumas defesas do goleiro gigante.