Com surto de Ômicron em Tianjin, cidades chinesas aumentam restrições contra Covid-19

·1 min de leitura
Pessoas caminham em Xangai

Por Roxanne Liu e Stella Qiu e Ella Cao e David Stanway

PEQUIM (Reuters) - Cidades por toda a China estão aplicando restrições mais duras para tentar controlar novos surtos de Covid-19, com Tianjin batalhando a altamente contagiosa variante Ômicron que foi detectada em transmissão comunitária em duas outras províncias.

Uma autoridade de Tianjin disse em um briefing à imprensa na terça-feira que 49 casos transmitidos localmente com sintomas confirmados foram detectados durante o último surto. A cidade de 14 milhões de pessoas a cerca de 100 quilômetros de Pequim agora implementa duras restrições para controlar a propagação do coronavírus, especialmente para a vizinha Pequim.

Tianjinm, que controla rigidamente as pessoas que estão deixando a cidade, ordenou o fechamento de espaços internos como academias e bares em um distrito com 800 mil pessoas.

O surto em Tianjin tem sido ligado a casos na cidade de Anyang, na província central de Henan, onde foram confirmadas 84 infecções desde sábado.

Anyang, que reportou na segunda-feira duas infecções locais da Ômicron rastreadas até um estudante que chegou de Tianjin, ordenou seus 5,5 milhões de moradores a permanecerem em casa, a não ser que tenham que fazer um teste para a Covid-19 ou por conta de empregos em setores essenciais.

O surto de Ômicron no país aparece poucas semanas antes do feriado de Ano Novo Lunar, um período de viagens para milhões de pessoas, e as cidades em toda a China estão recomendando que as pessoas fiquem em casa, especialmente durante a preparação de Pequim para receber os Jogos Olímpicos de Inverno no início do próximo mês.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos