Com suspeita de Covid-19, músico Nego Dé morre duas semanas após comemorar cura

Com suspeita de Covid-19, o músico Nego Dé morreu no domingo, aos 41 anos, em Nova Friburgo, na Região Serrana do Rio. André Henrique de Souza tratava uma pneumonia desde o final de março e estava internado no Hospital Municipal Raul Sertã no final de semana. No dia 14 de abril, o artista chegou a publicar um vídeo numa rede social dizendo que finalmente estava curado.

"Passando para dizer que estou curado, vivo, tá? Estou em Nova Friburgo. Não fui internado. Fui super bem recepcionado no Hospital Raul Sertã pelo doutor Matheus Lima. Nesses dias fui monitorado pela doutora Lúcia Rebel, doutora Maria Lina e por todos os meus amigos que fizeram correntes de orações para que eu saísse dessa. Foram 20 dias e mais um pouco de muita luta e difícil, dolorosa, cansativo, mas vi quantas mensagens de pessoas que gostam de mim e tô passando aqui para agradecer, tá? Estou em casa, estou bem e já já estaremos juntos. Papai do céu abençoe. Muito obrigado, muito obrigado", disse, na época, Nego Dé.

A família do artista afirma que em seu atestado de óbito consta a suspeita da doença e que aguardam o resultado do teste, que foi feito após sua morte, para confirmar se a causa foi mesmo o coronavírus. O enterro do artista foi no domingo e só a sua mãe e irmã acompanharam e, por conta da suspeita, só a sua irmã e sua mãe puderam acompanhar. Andrea Henrique de Souza, sua irmã, contou que Nego Dé tratata uma forte pneumonia, que causou água na pleura, o que teria causado a morte.

"Ele estava há meses com problemas no pulmão, se tratando de uma água na pleura. Este foi o laudo do médico, água na pleura. Covid é somente suspeita", disse ela ao G1.

O cantor deixa uma filha de 7 anos que mora na Argentina.