Com trânsito fechado por colisão de navio, passageiros caminham e soltam pipas na Ponte Rio-Niterói; vídeo

Após fechamento de ambos os sentidos da Ponte Rio-Niterói por conta da colisão com um navio à deriva, nesta segunda-feira, passageiros saíram dos veículos e começaram a caminhar. Alguns aproveitaram o momento para descontrair e soltar pipas. Após três horas de interdição, a Polícia Rodoviária Federal iniciou a liberação de quatro faixas da ponte no sentido Niterói e duas no sentido Rio.

De acordo com o Centro de Operações da Prefeitura do Rio, o navio se aproximou de um pilar. Segundo a Ecoponte, houve colisão leve da embarcação com o guarda corpo da ponte. Equipes estão seguindo para verificar se houve danos na base da ponte e na via de rolamento, informou a concessionária.

Em seu perfil no Twitter, o prefeito Eduardo Paes informou que está em diálogo com a EcoRodovias e pediu à população que evite a região:

"Conversei agora com o pessoal da EcoRodovias. Eles estão checando no detalhe o impacto da colisão na estrutura da ponte. A primeira impressão é a de que não há consequências mais graves. Só vão liberar após ter toda certeza. Por enquanto, evitem aquela região".

Enquanto a ponte estiver fechada, o transporte de barcas entre a capital fluminense e Niterói será mantido "de forma ininterrupta", conforme informado pelo governador Cláudio Castro.

Usuários da Ponte Rio-Niterói foram às redes sociais para relatar que o acidente com a embarcação se tratou de uma "tragédia anunciada". O navio está ancorado próximo a Ponte desde 7 de abril de 2016.

Pessoas que precisavam da ponte no momento do acidente também compartilharam seus percalços no trajeto. Segundo uma, já tinham se passado mais de quatro horas para conseguir chegar ao seu destino final, em São Gonçalo.