Com US$ 1, imigrante falido criou império que fatura US$ 1,5 bi por ano

Com menos de US$ 1, o imigrante espanhol Prudencio Unanue conseguiu criar um império alimentício nos Estados Unidos (Reprodução)

Ao contrário do que muita gente acredita, não é preciso ter muito dinheiro para investir para ter sucesso nos negócios. Com menos de US$ 1, o imigrante espanhol Prudencio Unanue conseguiu criar um império alimentício nos Estados Unidos e hoje fatura milhões.

Investimento de US$ 1

Com quatro filhos para sustentar e uma série de dívidas, Unanue recebeu um conselho de um amigo para que vendesse um carregamento de 500 caixas de sardinhas do Marrocos. “As caixas vinham com uma etiqueta em que estava escrito ‘Goya'”, conta Joseph Pérez, vice-presidente da Goya Foods, à BBC.

Na época, na década de 1930, Unanue gostou do nome e comprou a Sevilha Packing Company, uma empresa que estava falida, e a marca ‘Goya’ por US$ 1, o equivalente a US$ 18 atualmente.

No começo do negócio, o espanhol importava azeitonas e azeite, e tinha como público os imigrantes que tinham vindo de seu país. Na década de 60, a chegada de porto-riquenhos aos EUA para trabalhar em fábricas locais. O empresário percebeu que a chegada dessas pessoas abriu um novo mercado: o de comida latina. “Ele e sua esposa viram que havia um mercado não atendido, um nicho comercial”, detalha Pérez.

Mercado

Com a chegada de mais latinos ao país nas décadas seguintes, a empresa expandiu seus negócios, “entendendo as diferenças de culinária e cultura” entre os grupos, como ressalta Pérez. Segundo ele, a marca lucrou ao oferecer aos imigrantes uma espécie de “nostalgia” de seus locais de origem.

Atualmente, há mais de 55 milhões de pessoas pertencentes à comunidade hispânica nos Estados Unidos, o que tem ampliado o mercado da companhia e contribuído para o seu crescimento. Há poucos meses a Goya abriu cinco fábricas e centros de distribuição nos EUA.

Com um investimento baixo e um trabalho que passou de pai para filho, a Goya Foods vende mais de 85 tipos de feijão, com faturamento anual de US$ 1,5 bilhão.