Comandante dos Bombeiros da Bahia relata 'nível crítico' de água mas diz que principais barragens não têm risco de rompimento

·2 min de leitura

As principais barragens da Bahia estão em nível crítico, em relação à quantidade de água, mas não apresentam, no momento, risco de rompimento. Essa foi a explicação dada pelo comandante-geral do Corpo de Bombeiros da Bahia, coronel Adson Marchesini, sobre a situação das chuvas no estado. Segundo ele, as barragens que se romperam nos últimos dias eram pequenas construções privadas, ou seja, de menor porte e presentes em fazendas.

Até aqui, as tragédias causadas a partir das intensas chuvas desde o final de novembro já deixaram 20 mortos, 30 mil pessoas desabrigadas e 100 municípios em situação de emergência na Bahia, além de afetar 37 trechos de rodovias.

— Nós temos várias barragens em nível crítico, com relação à quantidade de água, não com relação à possibilidade de um rompimento da barragem. As barragens que estão se rompendo são barragens privadas, naturalmente feitas por fazendeiros, tendo em vista que as regiões sofrem com problemas de chuvas, e eles acabam construindo barragens em suas próprias propriedades, pequenas barragens — explicou Marchesini.

O comandante disse que os rompimentos causaram um "efeito dominó". Houve barragens rompidas, por exemplo, em Vitória da Conquista e na Chapada Diamantina. Enquanto isso, as barragens maiores, administradas pelo governo estadual, estão em estágio de "observação", para que se evite novos acidentes.

— A quantidade do nível de água nelas é o que realmente nós estamos em observação. As equipes responsáveis por cada uma de suas barragens estão fazendo monitoramento e a liberação de água na medida do controle para que evite qualquer tipo de problema maior para as comunidades ribeirinhas — disse Marchesini.

Nesta terça, o governador da Bahia, Rui Costa, anunciou que haverá um auxílio financeiro para as famílias atingidas pelas enchentes, mas o valor ainda será definido. O benefício vai ser executado dentro do programa Estado Solidário. O governador informou ainda que não há previsão para o restabelecimento de serviços de água e luz em algumas cidades.

Já o presidente Jair Bolsonaro, que optou em passar férias em Santa Catarina, apesar da tragédia, editou nesta terça-feira uma medida provisória (MP) que abre crédito extraordinário de R$ 200 milhões para o Ministério da Infraestrutura. Os recursos serão utilizados para reconstruir rodovias danificadas por chuvas na Bahia, no Amazonas, em Minas Gerais, no Pará e em São Paulo.

Com G1

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos