Comandante do Exército fala em verdades transfiguradas e notícias infundadas em evento com Bolsonaro

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O comandante do Exército, Marco Antônio Freire Gomes, afirmou nesta quinta-feira (25) que "notícias infundadas e tendenciosas" não poderão manchar a imagem da Força, representada por Duque de Caxias.

A declaração foi dada durante evento em comemoração ao Dia do Soldado, em Brasília. O presidente Jair Bolsonaro (PL) participou da cerimônia.

"Soldado Brasileiro! Se, em algum momento, verdades transfiguradas, notícias infundadas e tendenciosas ou narrativas manipuladas tentarem manchar nossa honra, na vã esperança de desacreditar a grandeza de nossa nobre missão, lembrem-se de que a calúnia jamais maculou a glória de Caxias", disse.

"O bravo Guerreiro demonstrou que seu coração de Pacificador era ainda maior que a formidável têmpera de sua espada invencível", completou.

A declaração, na qual o comandante destaca o Exército como Força pacificadora, foi feita em meio às especulações de um possível alinhamento das Forças Armadas com Bolsonaro, que busca a reeleição.

Generais do Alto Comando do Exército e interlocutores dos militares disseram à Folha, sob reserva, que apesar da crise entre os Poderes, as Forças Armadas tentam afastar a imagem de que poderiam apoiar uma eventual ruptura democrática.

No discurso, o comandante lembrou que o Exército trabalha "sob o sagrado manto da hierarquia e da disciplina" e que a instituição é "perpétua defensora dos interesses nacionais".

"Que a legalidade, a legitimidade e a estabilidade continuem como valores centrais, sempre em respeito ao povo e à nossa amada nação", afirmou.

Ele também destacou o papel das Forças Armadas na proteção do meio ambiente e no auxílio na realização das eleições.

"[Duque de Caxias] vive nas operações de garantia da lei e da ordem, de segurança da faixa de fronteira, de garantia da votação e apuração, de distribuição de água e perfuração de poços, de construção de estradas, pontes e ferrovias", afirmou.

Além de integrantes do governo, também esteve presente no evento o procurador-geral da República, Augusto Aras, que estava na fileira de trás do presidente e cantou todo o hino do Exército.

Apesar de não ser mais do Executivo nem ocupar posto relevante nas Forças Armadas atualmente, o vice de Bolsonaro, Braga Netto, que é general da reserva, ocupou lugar de destaque entre as autoridades.

Ele ficou ao lado do ministro da Defesa, general Paulo Sérgio Nogueira, que estava sentado ao lado do mandatário. Pelo cerimonial, foi anunciado como antigo ministro da Defesa.

Os ministros da Casa Civil, Ciro Nogueira, das Comunicações, Fábio Faria, das Relações Exteriores, Carlos França, do Gabinete de Segurança Institucional, Augusto Heleno, do Meio Ambiente, Joaquim Leite, entre outros, também estiveram presentes.

Principal nome do centrão no governo, Nogueira estava ao lado de Braga Netto e, em diversos momentos em que ocorria a cerimônia militar, mexia no celular e não prestava atenção na solenidade.

O Dia do Soldado é uma das datas mais celebradas pelo Exército. Após a solenidade e os discursos, militares realizaram um desfile, com tanques de guerra, blindados e helicópteros.