Combates entre separatistas e aliados do governo deixam 10 mortos no Iêmen

1 / 2
Combatentes separatistas do sul do Iêmen disparam contra forças pró-governo na província de Abyan

Combates ocorridos nesta segunda-feira, no sul do Iêmen, entre separatistas e forças aliadas do governo, que tentavam recuperar Zinjibar, capital da província de Abyan, deixaram 10 mortos e vários feridos de ambos os lados, segundo fontes separatistas e médicas.

Os confrontos foram os primeiros de envergadura desde 26 de abril, quando os separatistas proclamaram a autonomia de sua região, após o fracasso de um acordo de paz com o governo que previa a divisão do poder.

Nabil al-Hanashi, representante militar separatista, informou que membros do braço armado do partido islamita Al-Islah, aliado do governo, lançaram uma operação para recuperar Zinjibar, capital da província de Abyan, no sul do país. Os separatista conseguiram frear o seu avanço, causando "muitas baixas" e fazendo prisioneiros entre as forças pró-governo.

Fontes médicas informaram que oito soldados pró-governo morreram e outros 23 ficaram feridos nos combates. Dois combatentes separatistas também perderam a vida e 11 ficaram feridos, segundo as mesmas fontes.

Imagens registradas pela AFP nos arredores de Zinjibar mostram um veículo blindado em chamas e combatentes separatistas celebrando sua "vitória" sobre as forças inimigas.

Desde 2014, a guerra no Iêmen coloca em lados opostos rebeldes huthis xiitas (apoiados pelo Irã e que controlam o norte do país, incluindo a capital) e as forças governamentais, apoiadas militarmente desde 2015 por uma coalizão liderada pela Arábia Saudita. Mas o grupo contrário aos huthis sofre profundas divisões entre o governo, no exílio, e um movimento separatista que reivindica a autonomia do sul do Iêmen, o Conselho de Transição do Sul (STC, sigla em inglês).

Um acordo entre o governo e o STC foi assinado em novembro passado, em Riade, depois que os separatistas tomaram o controle de Áden, segunda maior cidade do país, situada no sul.